2020 foi um ano, em muitas esferas, atípico. Ou melhor dizendo: desastroso. A pandemia do novo Coronavírus foi e continua sendo algo verdadeiramente terrível.

E como se não bastassem as mortes, ainda somos infelizmente expostos a notícias e acontecimentos quase que diários que nos remetem a algum tipo de ideia de politização da própria pandemia e de seus efeitos nefastos sobre a sociedade (pelo menos no Brasil).

Faltam seringas. Faltam agulhas. Faltam vacinas, o que é pior. A nossa própria “agência reguladora”, além disso, agora controlada por gente que não deveria estar lá, parece estar vivendo em uma outra realidade, pouco fazendo para garantir um mínimo de respeito à ciência e ao bem comum.

Games

Aliás, falta empatia em nosso país, a começar por aquele que ocupa o cargo de presidente da nação. Não é raro, também, tomarmos conhecimento de festas com dezenas ou centenas de pessoas sendo promovidas, tudo isto enquanto a recomendação continua sendo para ficarmos em casa o máximo possível e evitarmos aglomerações, dentre outras coisas.

Mas, enfim, 2020 finalmente acabou, para o bem ou para o mal, e agora temos um novo ano diante de nós. E é natural que sintamos medo, além de esperança. Calafrios, ao mesmo tempo em que tentamos enxergar a tal luz no fim do túnel. Mas vamos que vamos.

Análises de jogos em 2020

No post “Os melhores do XboxPlus em 2019” (tudo bem, ele não figura no site com este nome), eu disse que havia jogado grandes jogos.

E posso dizer o mesmo em relação a 2020: tive também no último ano o prazer de jogar grandes títulos, games algumas vezes maravilhosos. Foi um ano terrível em outros quesitos, mas fantástico no que diz respeito à indústria de jogos eletrônicos, salvo um ou outro percalço.

Da mesma forma que em 2019, sou obrigado dizer que não jogo em todas as plataformas. Minha plataforma principal continua sendo o PC, sendo que também possuo um Nintendo Switch.

Portanto, analisei jogos única e exclusivamente nestas duas plataformas, com grande ênfase, é claro, no computador.

Em 2020, publiquei 81 reviews, sendo que em 2019 havia publicado 63 análises de jogos (lançamentos). Houve um incremento, portanto, de 18 jogos.

Estas 81 análises estão presentes na categoria “Reviews“, mas eu também publiquei análises de jogos “não lançamentos”, dentro da seção “A Fila Anda“. Nesta última, foram um total de 7 textos.

Portanto, se somarmos as duas categorias (Reviews e A Fila Anda), chegamos ao número de 88 análises publicadas em 2020. Fiquei estupefato quando me dei conta deste número, pois vale ressaltar que trabalho sozinho aqui no XboxPlus, e tenho outros afazeres offline, também.

Ainda “fazendo contas”, considerando o número de 88 textos publicados, chegamos a uma média de cerca de 7 jogos analisados por mês, ou “quase 2” por semana.

Não consigo entender (é sério) como cheguei a tal número, mas o fato é que as análises estão aí, publicadas, e talvez (ou com certeza) a “culpa” deste número alto de textos (pelo menos para um site como o XboxPlus) seja da pandemia.

Vale também ressaltar a existência das seções “Previews” e “Artigos“: estas duas, porém, eu deixei de fora da contabilização, pois elas contêm textos que muitas vezes fogem do escopo de uma análise propriamente dita.

Lista de análises de jogos em 2020 (Reviews)

Obs: todas as análises de todos os episódios Life is Strange 2 podem ser encontradas através deste link.

Jogos da seção “A Fila Anda”

Obs: ainda pretendo publicar reviews dos episódios faltantes de Song of Horror, bem como completar a série sobre Mafia III.

Os melhores de 2020

Obviamente, a lista a seguir leva em conta alguns dos jogos supracitados. Ou seja, aqueles games que eu joguei e realmente gostei demais.

De antemão, gostaria de dizer que, para mim, o melhor jogo eletrônico lançado em 2020 (meu “GOTY pessoal”) foi Death Stranding, de Hideo Kojima. O jogo que tem Sam Porter Bridges como protagonista é um verdadeiro petardo.

Death Stranding

Nele, assumimos o papel de um “mero” entregador de cargas. De alguém, entretanto, que tem de vencer obstáculos naturais e também problemas impostos por outros seres humanos, em uma espécie de futuro pós-apocalíptico ao mesmo tempo aterrador e instigante.

Death Stranding foi lançado originalmente para o PlayStation 4, em 08/11/2019, e finalmente desembarcou no PC em Julho do ano passado. Trata-se de uma obra com uma narrativa forte e um protagonista que sem sombra de dúvidas foi muito bem construído e interpretado (Norman Reedus).

Recomendo firmemente que você jogue este belíssimo trabalho da Kojima Productions, se é que ainda não o fez.

Ainda na lista dos melhores de 2020, opto por Assassin’s Creed Valhalla. A Ubisoft, aliás, fechou o ano com 3 ótimos jogos (Watch Dogs: Legion, Assassin’s Creed Valhalla e Immortals Fenyx Rising).

Valhalla entrega ao jogador um mundo aberto extremamente vivo, além de um enredo muito bacana. Tudo isto “empacotado” em um jogo muitíssimo bem otimizado (jogo no PC, é sempre importante lembrar) e repleto de sidequests e atividades extras.

Assassin’s Creed Valhalla

Eventos do mundo, além de missões paralelas (sem contar com as instigantes missões principais), colocam o jogador em contato com personagens, eventos e acontecimentos que, muitas vezes, fizeram parte da história real mundial.

AC: Valhalla é um jogo maravilhoso, cheio de nuances, e que demonstra, mais uma vez, o quão bacana ficou a série desde que a Ubisoft resolveu transformá-la em uma “franquia de RPGs”, à partir de Assassin’s Creed Origins.

É claro que, paulatinamente, a franquia vai ficando “mais RPG” e “menos Assassin”: mas as mudanças são muito bem vindas, e desde Origins a mesma vem conseguindo demonstrar que ainda tem seu lugar no mercado, ganhando enormes sopros de ar fresco tão logo novas iterações vão sendo lançadas.

Immortals Fenyx Rising é outro petardo lançado em 2020, também obra da desenvolvedora e publisher francesa. O título lembra bastante The Legend of Zelda: Breath of the Wild, e não faltam vídeos comparativos por aí.

Immortals Fenyx Rising

Porém, Immortals possui sua própria identidade, e se diferencia do jogo do Nintendo Switch de forma soberba, apresentando muitos elementos da mitologia grega e um mundo aberto lindíssimo.

Isto sem falar em puzzles muitíssimo bem desenvolvidos, sendo que alguns deles são bastante intrincados. Immortals Fenyx Rising, além disso, conta com uma história muito bacana, e bons momentos de diversão e galhofa, protagonizados por Prometeu e Zeus.

Detroit: Become Human é outro título sensacional que tive o enorme prazer de jogar e analisar em 2020, o qual retrata uma época e determinadas máquinas (androides) que se comportam de forma muito similar a seres humanos.

Detroit: Become Human

Eu não poderia deixar de citar também, é claro, o explosivo, viciante e frenético DOOM Eternal, mais recente trabalho da id Software, icônica empresa que praticamente criou o gênero FPS.

DOOM Eternal

DOOM Eternal, além de possuir uma trilha sonora fantástica, nos apresenta a cenários belíssimos e a demônios passíveis de divertida destruição.

O jogo conta com ação incessante, além de uma campanha cujo enredo é também muito bacana. Vale muito a pena!

Cloudpunk, por sua vez, é um pequeno indie game com temática Cyberpunk, o qual nos apresenta a uma lindíssima e espetacular cidade, Nivalis, na qual somos entregadores.

Cloudpunk - Game

Sim, entregadores, porém, de cargas ilegais. O jogo da alemã ION LANDS é muito bem feito, e conta inclusive com uma narrativa bastante interessante, além de valiosas referências a alguns clássicos do cinema.

SnowRunner, simulador da Saber Interactive, é uma obra e tanto, capaz de proporcionar ótimos momentos de diversão aos fãs do gênero.

SnowRunner

Em SnowRunner, o jogador pilota máquinas poderosas e pesadas, realizando coletas e entregas em meio a terrenos complicadíssimos. Aguarde por muita poeira, lama, neve, chuva e atoleiros, neste que certamente é, pelo menos até o momento, o melhor jogo do gênero.

Gears Tactics é uma obra fantástica. Temos aqui o famoso universo de Gears of War em forma de jogo de estratégia em turnos.

Gears Tactics

O título, desenvolvido pelos estúdios Splash Damage e The Coalition, conta inclusive com uma bela narrativa, além de ótimas mecânicas.

E para finalizar minha “pequena” lista dos melhores jogos de 2020, gostaria também de citar (todos constam na listagem acima, vale lembrar) Journey to the Savage Planet, o adventure LUNA The Shadow Dust e Metro Exodus – Sam’s Story.

Maneater - Game

Maneater

Isto sem falar no espetacular Shady Part of Me e também em Saints Row IV: Re-Elected (Nintendo Switch), The Shattering, Streets of Rage 4, Venineth, Maneater, da Tripwire Interactive, Call of Duty: Modern Warfare 2 Campaign Remastered, Saints Row: The Third Remastered, Spiritfarer, Control, da Remedy, Serious Sam 4, Amesia Rebirth, Waking, Call of the Sea e PACER (um ótimo “substituto” para WipeOut).

Shady Part of Me

O lindo e interessantíssimo Shady Part of Me

Eu poderia até mesmo elencar mais alguns ótimos títulos da lista acima, porém não quero aqui me alongar mais do que o necessário.

Fique longe

Como sabemos, nem só de bons jogos vive a indústria de games. E encabeçando a lista de jogos dos quais sugiro que você se mantenha distante, eis aquele que, sem sombra de dúvidas, foi a maior decepção de 2020: Cyberpunk 2077 (meu review do jogo deve sair em breve). Claro, sugiro que você se mantenha distante por enquanto.

O jogo da CD Projekt RED, aguardado por mais de 8 anos, chegou ao mercado em um estado lastimável (pelo menos para quem possui um dos consoles da antiga geração).

Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077

De qualquer forma, mesmo no PC, convivemos com bugs, travamentos, performances ruins, etc: tudo isto, e mais, faz parte do jogo, embora o estúdio por ele responsável já esteja trabalhando para sanar os problemas.

Também gostaria de recomendar que você se mantenha longe de Artificial Extinction, Gigantosaurus The Game, Predator: Hunting Grounds, Those Who Remain, Beyond Blue, Summer in Mara, Marvel’s Avengers, Kingdoms of Amalur: Re-Reckoning, Ride 4 e TramSim.

Finalizando

E é isto, caríssimo leitor. Espero que tenha apreciado o artigo. Agradeço também imensamente aos apoiadores do site no PicPay e no Pagseguro, bem como a todas as assessorias de imprensa, desenvolvedoras e publishers, além da Nuuvem e do GOG, que forneceram jogos para review ao longo de 2020.

Obrigado a todos pela gentileza.

Pin It on Pinterest