Após meu review de SnowRunner, comecei a me aventurar mais ainda pelas amplas regiões do jogo, em busca de experiência, trabalhos e, é claro, dinheiro.

Venho tentando também seguir todas as dicas divulgadas (ou quase todas) pela desenvolvedora Saber Interactive, no último dia 13 de Maio, e elas têm ajudado bastante.

O fato é que o mais recente simulador off-road da Saber Interactive é um jogo para quem tem bastante paciência, calma e atenção a detalhes.

SnowRunner

No comando de veículos pesados, dirigindo sob condições climáticas extremamente hostis e sobre terrenos acidentados e repletos de lama, gelo, terra e outros detalhes que tornam a manobrabilidade extremamente complicada, somos postos à prova.

O jogo nos testa a cada segundo, seja em meio à água (adquirir um snorkel para evita que o motor se “afogue” – dentro de certos limites – também é possível), seja em meio a lamaçais, seja em meio à neve.

O que venho também fazendo em SnowRunner, pelo menos em grande parte do tempo, é explorar os mapas, a fim de liberar as torres de vigia.

SnowRunner

Isto para expor grandes parcelas do mapa e ser capaz então de pelo menos saber mais ou menos em que tipo de áreas irei me aventurar a seguir.

Trabalhos difíceis

Em SnowRunner, somos contratados para realizar trabalhos verdadeiramente difíceis. Para transportar peças agrícolas, combustível, madeira, etc.

SnowRunner

Para resgatar veículos presos em meio à neve, em lugares inacessíveis a outros veículos, também, e para recuperar, por exemplo, contêineres que porventura tenham sido perdidos em meio a terrenos de difícil acesso.

Já tive o prazer, digamos, de pegar contratos que exigiam o acesso, ou a passagem, por todos estes tipos de terrenos, condições e elementos. Em todos eles, tive grandes dificuldades.

SnowRunner

Vale ressaltar que grande atenção é exigida, em SnowRunner, no momento da aceitação de um contrato. Você deve sempre verificar se possui o veículo e os equipamentos necessários para o trabalho em questão.

Isto sob pena de se ver em condições bastante ruins e sem os meios necessários para completar o trabalho, o que resultará em, bem, digamos, em grandes decepções.

Ontem mesmo passei por uma situação semelhante. Na busca por trabalhos disponíveis, acabei aceitando um trabalho para buscar e entregar um determinado contêiner perdido.

A distância entre o local da retirada e o local da entrega era de “meros” 900 metros. Mas em SnowRunner, tal distância muitas vezes representa algo que demanda alguns bons minutos (ou horas) de gameplay.

SnowRunner

Isto devido às condições bastante hostis, ao clima ruim, às estradas em péssimas condições e à todo o exercício de paciência que um jogo com veículos off-road requer.

Um trabalho que deu errado em SnowRunner

Pois bem, em relação ao trabalho acima, lá fui eu todo feliz em busca do tal contêiner, lembrando que tudo isto aconteceu em Michigan (em um outro diário contarei algumas experiências no Alasca).

Atravessei pequenos riachos, colocando em risco o meu motor (segundo informações do próprio jogo, aliás), lamaçais assustadores onde até mesmo a tração nas quatro rodas parecia não ajudar muito, etc.

SnowRunner

“Jogando futebol” com a carga

Usei o guincho inúmeras vezes, me prendendo a árvores e utilizando a força do mesmo em conjunto com a aceleração ao máximo, e houve momentos em que quase cheguei a desistir do “job”.

Mas não, como um motorista verdadeiramente confiante em seu instinto, em seu veículo e em sua habilidade (perceba que estou falando do jogo – nunca dirigi um caminhão na minha vida), continuei, sempre insistindo.

Cheguei então ao local onde estava o referido contêiner e percebi, aí, que não era habilitado nenhum “ponto de engate” para o guincho de meu caminhão. Achei bastante estranho, e após diversas tentativas sem sucesso, acabei partindo para a improvisação.

SnowRunner

“Jogando futebol” em SnowRunner

Como em um jogo de “futebol com veículos” (Rocket League, digamos), uma vez que o local da entrega estava a apenas 400 metros de distância, fui empurrando o contêiner com meu caminhão, um Fleetstar F2070A.

Foi algo bastante trabalhoso, tedioso, e que exigiu bastante tentativa e erro de minha parte, além de muita insistência, pois haviam diversos percalços pelo caminho.

A “bola” teimava em fugir, à todo momento, e eu tinha de pilotar o caminhão de forma bastante problemática, para poder empurrá-la a contento. Isto exigiu de mim quase uma hora de trabalho árduo.

O fato é, entretanto, que cheguei ao local da entrega. E para minha surpresa, nada aconteceu. A janela indicando a conclusão do serviço não foi exibida. Eu não ganhei experiência.

E para meu desespero, também não ganhei dinheiro algum. Isto após gastar quase meio tanque de combustível. Bem, o grande problema, aqui, foi minha falta de atenção às exigências do trabalho.

Acabei confundindo “guincho” com “guindaste”. O trabalho exigia um guindaste, para que o contêiner fosse devidamente içado e colocado à bordo da caçamba no local.

E eu não contava com tal equipamento em meu caminhão. Ou seja, perdi tempo, não ganhei experiência alguma e retornei à minha garagem com um gosto bem amargo na boca.

Vivendo e aprendendo

O fato é que SnowRunner é um jogo com progressão bastante lenta. Trabalhos geralmente exigem muito esforço e máquinas potentes, além de, muitas vezes, equipamentos caros.

E tais trabalhos geralmente pagam bem pouco. Quer dizer, bem menos do que aquilo com o qual eu estava acostumado, por exemplo, em outro simulador (em Euro Truck Simulator 2).

SnowRunner

É sempre bom, também, explorar os mapas. Com frequência e em longas viagens de exploração. Venho fazendo isto com frequência, aliás, e para isto utilizo meu pequeno jipe com tração nas quatro rodas e AWD sempre ativo por padrão.

Depois do trabalho acima mencionado, aliás, fiquei bem esperto no tocante às exigências de cada “job” e às ferramentas e equipamentos necessários para a concretização do mesmo.

isto é algo imprescindível, sob pena de você viajar por bastante tempo e acabar se vendo “no meio do nada”, por exemplo, sem ganhar um tostão (e sem evoluir).

Aliás, coisas piores podem acontecer, caso você não programe sua viagem, sua rota, etc: você pode acabar atolado, sem conseguir sair do lugar, e ver seu combustível se esvaindo, pouco a pouco.

SnowRunner

Nestes casos, é bastante triste apertar o botão para retornar à garagem. Um gosto bem amargo vem à nossa boca, pois parece que deixamos algo inacabado para trás.

Finalizando

SnowRunner, tido como o sucessor espiritual de MudRunner, é um jogo e tanto. No presente momento, me encontro em Michigan, e pretendo retornar ao Alasca apenas quando meus veículos, perícia e equipamentos permitirem.

O título é bastante divertido, entretanto, apesar de todos os percalços que ele coloca diante do jogador: apenas é necessário ter muita cautela, paciência e jogo de cintura, usando aquilo que temos à mão no momento.

O guincho, por exemplo, é um dos equipamentos mais úteis do jogo, e eu recomendo que você adquira um para seu veículo principal, pelo menos, o quanto antes. Com ele, você pode sair de muitas “enrascadas”. Muitas vezes com grande facilidade.

Fico por aqui, por enquanto. Até a próxima!

Pin It on Pinterest