A franquia de filmes Terminator, ou O Exterminador do Futuro, no Brasil, conta com 2 filmes que tenho em alta conta. O Exterminador do Futuro, de 1984, e O Exterminador do futuro 2, de 1991, foram fantásticos filmes dirigidos por James Cameron, sem falar na atuação do famoso astro Arnold Schwarzenegger.

À partir daí, o que tivemos, no que diz respeito aos filmes, foi uma sequência de títulos (pelo menos alguns deles) bastante questionáveis/descartáveis, e Terminator: Resistance, jogo desenvolvido pelo estúdio polonês Teyon e publicado pela Reef Entertainment, felizmente se destaca neste ponto, sendo um bom jogo de tiro em primeira pessoa, com leves elementos de RPG e ação furtiva.

Terminator: Resistance

Um pouco do enredo de Terminator: Resistance

Terminator: Resistance, felizmente, meio que ignora qualquer acontecimento dentro do universo idealizado por James Cameron à partir de O Exterminador do futuro 2, e coloca o jogador no papel de Jacob Rivers, soltado da Resistência do Pacífico que acaba tendo de fugir de Pasadena, em Los Angeles, após um ataque arrasador promovido pela Skynet, inteligência artificial criada pelo governo dos EUA que, ao se tornar autoconsciente, passou a enxergar a humanidade como uma ameaça e colocou em prática, então, o holocausto nuclear conhecido como “Dia do Julgamento”.

Terminator: Resistance

O novo game da Teyon, ambientado no ano de 2028, é uma prequel, na verdade, e aqui somos inclusive colocados em contato com John Connor e com os preparativos para enviar ao passado o tenente Kyle Reese, a fim de proteger Sarah Connor, mãe do líder da resistência, a qual seria então brutalmente perseguida e ameaçada por um ciborgue enviado pela Skynet e que no cinema foi interpretado por Schwarzenegger.

Em Terminator: Resistance, o protagonista acaba também chegando a fazer parte de uma outra divisão da Resisência, a Divisão Sul, após a aniquilação da sua própria, e serve então sob o comando da enérgica e pouco amigável Comandante Baron.

Terminator: Resistance

A Skynet promove sistematicamente várias “linhas de aniquilação”, através das quais envia seus robôs, drones, naves e ciborgues fortemente armados e em massa, a diversas localidades, com a finalidade de destruir todo e qualquer ser humano que for encontrado pela frente.

Terminator: Resistance

Terminator: Resistance também conta com menções ao equipamento de deslocamento temporal, o qual foi o responsável pelo envio ao passado, por parte da Skynet, das unidades que tinham por objetivo apagar John Connor da existência e assim eliminar a Resistência por completo.

Bem, este é o pano de fundo, em suma, para um jogo bastante divertido e que oferece uma campanha solo que pode durar algo em torno de 8 a 10 horas.

Terminator: Resistance

Jogando Terminator: Resistance

O título é um First Person Shooter com alguns elementos de crafting, RPG e ação furtiva. Em relação ao crafting, por exemplo, existem bancadas para criação, espalhadas pelos quatro cantos do mundo do game, ou então dentro de abrigos, através das quais é possível criar alguns itens, tais como explosivos e kits médicos, por exemplo.

Jacob Rivers é capaz de evoluir enquanto personagem, através de pontos de experiência ganhos ao completarmos missões primárias e secundárias. Temos também uma árvore de habilidades dividida em 3 categorias principais: “Combate”, “Ciência” e “Sobrevivência” – podemos, por exemplo, aprimorar as habilidades do protagonista em hacking, e assim tornar mais fácil nossa vida durante os minigames que se fazem presentes sempre que tentamos hackear uma porta ou algum dispositivo qualquer.

Terminator: Resistance

Terminator: Resistance, além disso, é um FPS bastante old-school: não espere por regeneração de vida automaticamente, nem por nada semelhante. Aqui, é sempre bom ter vários medkits na bolsa, e cuidar sempre com cautela do inventário, descartando itens inúteis e realizando os devidos upgrades que têm por objetivo aumentá-lo.

Terminator: Resistance

John Connor

Apenas as mecânicas de ação stealth não são lá muito convincentes: o máximo que podemos fazer é utilizar um óculos especial que permite que enxerguemos através das paredes, além de caminhar agachados para fazer menos barulho e evitar nossa detecção pelas máquinas.

Mas não se engane: infelizmente, a necessidade de agir furtivamente acaba caindo por terra quando percebemos que é muito fácil e rápido darmos cabo da maior parte dos inimigos (a IA dos inimigos não é lá das melhores). Pelo menos, à partir do momento em que colocamos nossas mãos em nossa primeira arma de plasma (os T-1000 e outros Exterminadores são imunes a munição convencional).

De qualquer forma, não considero esta “falha” na ação furtiva um ponto negativo para o game, pois seu foco está no oferecimento de uma boa e carismática experiência old-school no que diz respeito ao lado FPS da coisa. E isto temos de sobra.

Terminator: Resistance

O jogo também permite que dialoguemos com diversos personagens, em diversos momentos, nos oferecendo várias opções de respostas e ações, as quais, muitas vezes, podem até mesmo ser moralmente questionáveis. Existem alguns momentos em várias conversas que são verdadeiramente surpreendentes.

Tal sistema, aliás, é capaz de alterar levemente o rumo da narrativa, sendo que o jogo conta, assim sendo, com mais de um final disponível.

Gráficos e trilha sonora

Os gráficos de Terminator: Resistance não são, é verdade, um de seus pontos fortes. Muitas vezes, nos deparamos com alguns problemas, também, como por exemplo texturas que demoram para carregar.

O jogo, desenvolvido na Unreal Engine, além disso, apresenta em diversos momentos gráficos um tanto quanto datados. Ou, pelo menos, não de acordo com aquilo que esperamos, por exemplo, quando estamos prestes a colocar as mãos em algum título AAA.

Terminator: Resistance

Fica mais do que claro que a Teyon trabalhou com um orçamento bastante limitado, mas por outro lado, é louvável o esforço da desenvolvedora, principalmente em ambientes mais abertos, nos quais somos mais do que levados a crer que estamos imersos em um mundo pós-apocalíptico, com construções em ruínas, carros tombados, e as constantes patrulhas de Terminators e naves da Skynet.

Muitas missões do jogo acontecem em meio a tais cenários, e durante o dia, posso dizer que as coisas melhoram bastante, com a iluminação ajudando a destacar muito daquilo que pode ter sido ofuscado pelas brumas noturnas.

Já a trilha sonora conta com elementos sci-fi muitíssimo bem vindos, incluindo o clássico tema principal do filme de 84, composto por Brad Fiedel. As músicas, no geral, ajudam bastante em momentos de ação e tensão, contribuindo para uma maior imersão do jogador.

Terminator: Resistance

Algumas considerações finais

Terminator: Resistance oferece uma experiência bastante gratificante aos fãs dos filmes, colocando-nos em contato com personagens e elementos icônicos da série, ao mesmo tempo em que nos oferece uma experiência sólida e direta ao ponto, sem muitas firulas.

Terminator: Resistance

Armas também são passíveis de upgrades, vale ressaltar, e isto pode ser talvez melhor apreciado nos rifles de plasma, desenvolvidos pela Skynet.

O jogo também conta com uma certa dose de drama, seja através das histórias tristes experimentadas por alguns dos sucateiros com os quais temos contato, passando por reviravoltas de doer o coração, e também através de relatos horripilantes de membros do grupo de Jacob que passaram pelos temidos campos de extermínio da Skynet.

Terminator: Resistance

Os poucos problemas acima mencionados, bem como a recepção morna do jogo pela grande mídia, não são motivos para fazer com que você se afaste deste ótimo título. Aliás, prova do que estou dizendo são as análises positivas de inúmeros usuários no Steam e no Metacritic.

Terminator: Resistance é um shooter muito bacana, capaz de satisfazer a uma ampla gama de jogadores, desde fãs dos filmes até marinheiros de primeira viagem, uma vez que estamos falando de uma prequel.

Jogabilidade sólida, mecânicas bem implementadas (menos no que diz respeito à ação stealth) e uma trilha sonora de primeira são apenas alguns de seus pontos positivos. Pode comprar sem medo, se você aprecia FPSs old-school.

Ficha técnica

Título: Terminator: Resistance

Gênero: ação, FPS, RPG

Desenvolvedora: Teyon

Publisher: Reef Entertainment

Data de lançamento: 14 de Novembro de 2019

Plataformas: PC, Xbox One, PlayStation 4

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest