Song of Horror é um jogo de terror, digamos, à moda antiga. Sua ambientação é soberba, os 4 personagens jogáveis inicialmente possuem cada um suas respectivas e distintas motivações, o ambiente é opressivo e assustador ao extremo, e existe uma fortíssima e obscura presença atuando no local, dificultando bastante a vida do jogador. Felizmente.

Mas comecemos pelo princípio. Song of Horror é um jogo de terror episódico (serão, ao todo, 5 capítulos – o quinto ainda não foi lançado). Desenvolvido pelo estúdio espanhol Protocol Games e publicado pela também espanhola Raiser Games, Song of Horror impressiona desde o início.

A história de Song of Horror – Episódio 1

Os eventos do primeiro episódio acontecem na Mansão Husher, propriedade de um famoso historiador e escritor chamado Sebastian Husher. Sebastian e sua família desapareceram misteriosamente.

Song of Horror - Episódio 1

Um determinado editor, Etienne, precisa com urgência do último manuscrito de Sebastian, relativo a seu mais recente trabalho. O problema é que, com o sumiço do autor, o editor acaba se vendo em maus lençóis e envia, então, seu assistente até a Mansão Husher.

Daniel Noyer acaba indo até o local, onde encontra coisas verdadeiramente intrigantes. À começar pela porta da frente, que está aberta, e também pelo alarme da casa, que está desligado, tudo conspira para que Daniel se sinta cada vez mais intrigado com o local.

Song of Horror - Episódio 1

Um antiquíssimo relógio marca 12 horas (ou provavelmente meia noite), e um tétrico som é ouvido no ar: o som de uma caixinha de música, o qual parece vir de algum aposento mais acima.

Uma canção de horror

Existem malas feitas como que às pressas, como se alguém pretendesse partir de repente, e Daniel também acaba encontrando uma carta de um amigo de Sebastian, chamado Isaac Färber, na qual ele descreve o presente que enviou ao amigo: a tal caixa de música.

Voltando um pouco no tempo, é importante destacar que tal caixa de música é um dos pontos centrais do game. Tudo porque ela representa algo bastante sinistro, cuja estranha melodia meio que “impregna” nas mentes e nos ouvidos daqueles que com ela entram em contato, de forma claramente sobrenatural.

À partir da recepção do a princípio singelo presente, Sebastian Husher e sua família passam a observar coisas estranhas na casa. Portas estranhas são observadas pelas crianças, uma negra presença é sentida pela esposa de Sebastian, Catherine, e as coisas começam, então, a degringolar.

Song of Horror - Episódio 1

Jogando Song of Horror

Retornando a Daniel, bem, ele começa a explorar a antiga, majestosa e assustadora mansão, sob o controle do jogador. Rapidamente, porém, ele também desaparece dentro da mansão, de forma extremamente misteriosa.

À partir daqui, entram em cena os quatro personagens verdadeiramente jogáveis e principais de Song of Horror – Episódio 1: Sophie Van Denend, Etienne Bertrand, Alexander Laskin, funcionário de Sebastian, e Alina Ramos, uma técnica em eletricidade.

Song of Horror - Episódio 1

Song of Horror é um jogo de horror, de certa forma, único. Para iniciar, temos a Presença, ou Escuridão, a qual ronda os corredores e aposentos assustadores da velha casa.

O jogo, além disso, é bem diferente de outros do mesmo gênero, no sentido de que conta com uma inteligência artificial bastante diferenciada e apurada, a qual reage de formas distintas conforme o seu estilo de jogo e de acordo com o personagem em questão.

Digamos que a IA do game “compreende” sua maneira de jogar e então se adapta, se adequa, de maneira tal a dificultar a sua vida.

Song of Horror - Episódio 1

Tal IA, além disso, é capaz de gerar de forma procedural riscos os mais distintos, em locais diferentes, dependendo da situação e do personagem. Acredite: você pode, após jogar o episódio 1, assistir a alguns vídeos do mesmo no Youtube, e perceberá que as experiências serão sempre diferentes da sua, em muitos aspectos.

Song of Horror - Episódio 1

Itens para puzzles, dependendo da situação, são encontrados em locais diferentes dependendo do jogador e de seu modo de agir, a Escuridão aparece em momentos e circunstâncias diferentes para diferentes jogadores, e dependendo das ações do jogador, será possível visualizar mais ou menos eventos assustadores.

A IA do jogo, segundo os próprios desenvolvedores do mesmo, “reage e se adapta às nossas ações e decisões”. Eu mesmo me surpreendi bastante, após finalizar o episódio 1 de Song of Horror e assistir a alguns vídeos de gameplay do mesmo no Youtube, percebendo como as experiências podiam mesmo serem diferentes umas das outras, dependendo do jogador. Isto é fenomenal.

Song of Horror - Episódio 1

Além disso, vale ressaltar o trabalho de sonoplastia aliado aos gráficos do jogo. Percebemos nitidamente a velha casa ranger. Percebemos passos. Sons estranhos atrás de portas que não parecem nada convidativas.

Somos capazes de observar o belíssimo trabalho realizado com as luzes e com as sombras, portas se fecham sozinhas, brinquedos entram em funcionamento “do nada”, sons estranhos reverberam pela casa inteira, etc. É verdadeiramente algo imperdível para qualquer fã de jogos de horror/terror.

Song of Horror - Episódio 1

O jogo tem também, dadas a inteligência artificial especial e a geração procedural acima mencionadas, um alto fator replay. Ah, fica aqui um aviso: é possível ouvir através das portas, nelas encostando o ouvido.

Caso você ouça barulhos estranhos, gritos, gemidos ou choros, não entre, pois você morrerá em um encontro com entidades sobrenaturais.

Song of Horror - Episódio 1

A Presença, ou A Escuridão

A Presença, ou A Escuridão, é na verdade a entidade maligna dentro da casa. O jogo, por falar nisso, conta com claras inspirações em Lovecraft e Edgar Allan Poe (acredite, você verá tentáculos negros, em alguns momentos, ao jogar este título espetacular).

Song of Horror também “pega carona”, digamos, em alguns clássicos do horror moderno, como por exemplo Amnesia: A Machine for Pigs e Amnesia: The Dark Descent: nossos protagonistas são bastante frágeis frente à Presença, e o máximo que podem fazer é buscar refúgio em armários ou embaixo de mesas.

Nestes momentos, entra em cena uma mecânica mediante a qual temos de pressionar alguns botões, de forma ritmada, conforme sons e gráficos exibidos em tela, de forma tal a deixar o protagonista calmo, com os batimentos cardíacos em um rítmo aceitável, pois caso ele entre em pânico, é game over na certa.

Song of Horror - Episódio 1

Além disso, vez ou outra a negra presença tenta invadir cômodos nos quais nos encontramos, e aí, podemos tentar empurrar a porta com força, impedindo sua passagem, através do pressionar de alguns botões.

O velho casarão é cheio de negros corredores e cômodos escuros, e temos inclusive alguns puzzles para resolver. A câmera do jogo é fixa, por falar nisso, e devido a isto, de vez em quando, podemos observar alguns vultos e/ou outras coisas assustadoras e fantasmagóricas passarem ao fundo, sem que o personagem jogável no momento o perceba. Acredite: é bastante assustador.

Vale também lembrar que cada personagem jogável possui sua própria fonte de luz. A princípio, não há energia na casa, é importante frisar – mas mesmo após a resolução do “problema” relacionado à energia, ainda é necessária a utilização de “ferramentas extras”.

Song of Horror - Episódio 1

Alexander, por exemplo, utiliza uma vela. Daniel e Alina, uma lanterna. Já Etienne utiliza um isqueiro (o qual demora a “pegar”), enquanto Sophie utiliza um candelabro com uma vela.

Cada personagem, além disso, possui valores distintos de “velocidade”, “ação furtiva”, “força” e “serenidade”: é muito fácil perceber as vantagens e desvantagens, aqui, assim que observamos os respectivos gráficos, na ficha de cada um deles.

Permadeath em Song of Horror

Isto sem falar que Song of Horror é um jogo com permadeath. Funciona assim: você começa jogando com Daniel, o qual desaparece misteriosamente. Logo a seguir, você pode escolher um dentre os quatro personagens acima mencionados. Os itens presentes no inventário do personagem que morreu ficam incólumes, em uma mochila que é inclusive representada no mapa – fique tranquilo.

Song of Horror - Episódio 1

Caso morra em ação, é possível escolher um dentre os 3 restantes, e assim por diante. Porém, esgotados todos os personagens, ou seja, se você deixar que todos os 4 morram “em serviço”, é game over: o jogo acaba e você terá de iniciar o episódio novamente.

Gráficos e trilha sonora

Song of Horror conta com gráficos bastante caprichados, e faz um excelente uso da luz e das sombras.  Apenas achei as expressões faciais um tanto quanto descuidadas: mas isto não é nada que tire o brilho do game. O game é excelente.

A trilha sonora é extremamente tétrica. Soturna ao extremo, e faz bastante uso de pianos, algo que considero extremamente convidativo em jogos de terror. Além disso tudo, temos lindíssimas cutscenes desenhadas à mão, as quais lembram bastante de HQs.

Song of Horror - Episódio 1

Finalizando

Se você está em busca de um ótimo jogo de horror, não perca tempo: quatro episódios de Song of Horror já foram lançados, e o quinto está previsto para o mês que vem.

O jogo de terror da Protocol Games é verdadeiramente surpreendente, contando com uma narrativa envolvente, personagens carismáticos e uma negra presença que é capaz de gelar o sangue em nossas veias.

Song of Horror - Episódio 1

Além disso, temos aqui o elemento “permadeath”, algo um tanto quanto inusitado em jogos de horror, o que deixa tudo com um ar ainda mais desafiador. Recomendadíssimo!

E aguarde, pois em breve trarei também as análises dos demais episódios de Song of Horror.

Ficha técnica

Título: Song of Horror – Episódio 1

Gênero: terror, horror, survival horror, ação

Desenvolvedora: Protocol Games

Publisher: Raiser Games

Data de lançamento: 31 de Outubro de 2019

Plataformas: PC

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest