Signs of the Sojourner (página no Steam) é uma peculiar aventura desenvolvida pelo estúdio californiano Echodog Games. Lançado também no itch.io, o jogo está disponível para Windows e Mac.

Temos aqui uma espécie de novela visual que faz uso de um baralho para a conversação com outros personagens. Digamos que trata-se de uma espécie de mistura entre card game e aventura.

Signs of the Sojourner não é, porém, um card game como Gwent ou Magic: The Gathering, por exemplo. Aqui, as cartas do baralho têm por objetivo expressar aquilo que o protagonista com orelhas de gato (e sem nome) pensa e sente.

Signs of the Sojourner

Sobre Signs of the Sojourner

Fortemente focado na narrativa, o título da Echodog Games lida com sentimentos, relacionamentos e diálogos. Diálogos que podem ser, digamos, travados com nosso amigo de infância, Elias, ou então com vários outros personagens.

No jogo, nosso deck evolui conforme evoluímos enquanto personagem, e a cada nova experiência/diálogo, podemos tanto receber novas cartas/habilidades quanto perdê-las.

Aliás, isto é um fato: de tempos em tempos, o jogo nos obriga a dispensar uma carta e a adquirir uma nova, ou seja, estamos aqui abandonando algo que era intrínseco ao personagem e adquirindo novas habilidades linguísticas, digamos.

Signs of the Sojourner “brinca” bastante com os relacionamentos e com todos os sentimentos que somos capazes de passar durante cada diálogo (no jogo e fora dele, até).

O título é bastante interessante, e as decisões que tomamos ao jogarmos, ou seja, ao conversarmos, ditarão como iremos lidar com nossos relacionamentos no futuro.

Como iremos abordar os diferentes personagens no jogo, como iremos conduzir cada diálogo, e até mesmo como cada uma destas conversas irão terminar.

Signs of the Sojourner

É possível, aliás muito provável, que você se depare com situações nas quais os interlocutores saiam arrependidos, nervosos, irritados. Tudo depende do que você faz durante os diálogos, de suas “palavras”.

História

Em Signs of the Sojourner, temos de manter em funcionamento a loja de nossa falecida mãe, em uma cidade chamada Bartow.

Signs of the Sojourner

No universo do jogo, o mundo passou por diversas mudanças climáticas drásticas, o que tornou a viagem entre as diferentes cidades algo bastante complicado.

A mãe do personagem principal sem nome, aliás, fazia parte de uma caravana que tinha como um de seus objetivos abastecer lojas e outros estabelecimentos em diversas cidades.

Signs of the Sojourner

É justamente este “ofício” que o protagonista resolve então assumir, e vale ressaltar, aliás, que não é obrigatório seguir uma “receita de bolo”, digamos.

Podemos viajar à vontade pelo mapa do jogo, escolhendo nossos próprios destinos conforme bem desejarmos, sendo que em cada viagem encontramos diversos tipos de pessoas, o que transforma a experiência dos diálogos em algo sempre fresco.

Signs of the Sojourner

Há, por exemplo, a ranzinza líder da caravana, a qual, entretanto, admirava sua mãe e não deixa de te apresentar seus pêsames. É até mesmo bastante interessante perceber como os personagens evoluem ao longo do tempo.

Conforme novos encontros com os mesmos são travados, conforme nós mesmos adquirimos e utilizamos novos cards/habilidades/frases, etc.

Muitas vezes, também, você pode sair de um diálogo bastante decepcionado, devido ao fato, por exemplo, de seu baralho não contar com as cartas necessárias para uma boa “finalização”, digamos.

Ou seja, traduzindo: nestes casos, podemos deixar nosso interlocutor com raiva, indeciso, preocupado, ou até mesmo com uma certa desconfiança em relação ao mudo personagem principal.

Signs of the Sojourner lida com tudo isto de maneira soberba. Com vários sentimentos envolvidos em relacionamentos muitas vezes triviais, do dia a dia. Com surpresas, novidades, etc.

Vale ressaltar, também, que infelizmente a caravana está pensando em remover a cidade de Bartow de sua rota, algo que, caso concretizado, pode trazer sérias consequências aos habitantes da cidade.

Jogando

Jogar Signs of the Sojourner é bastante simples. Difícil é escolher as cartas certas, dependendo da situação e do interlocutor em questão.

Basicamente, devemos escolher cartas cujos símbolos se conectem aos símbolos das cartas já lançadas, partindo da esquerda para a direita.

Cada um destes símbolos, aliás, tem a ver com uma habilidade, como por exemplo “empatia”, “atenção”, “lógica”, “diplomacia”, etc.

Além disso, durante cada rodada/conversa, podemos utilizar habilidade especiais que vamos adquirindo ao longo do gameplay, como por exemplo a “Accord”.

Tal habilidade especial permite que você se proteja automaticamente de um único erro na rodada atual, ou seja, trata-se de uma habilidade extremamente útil.

Isto sem falar, obviamente, na habilidade “Accomodate”, a qual duplica ambos os símbolos da carta anterior. E assim por diante: são inúmeras as habilidades “especiais” em Signs of the Sojourner.

Existe até mesmo uma extremamente útil habilidade que permite que visualizemos, temporariamente, a mão da outra pessoa, de nosso interlocutor.

Trata-se de um game bastante interessante. Esta ideia bastante original, de “diálogos através de cartas”, é bem inusitada, em minha opinião, e foi muito bem implementada.

Signs of the Sojourner

É importante destacar, entretanto, que a progressão em Signs of the Sojourner é contínua, avança independentemente do sucesso ou não em cada diálogo.

Sucesso este, obviamente, que pode ser algo bastante subjetivo, dependendo do caso, do contexto e da pessoa com a qual estamos conversando. Entretanto, o jogo parece, de certa forma, fácil demais, quando paramos para prestar atenção neste pequeno detalhe.

Mesmo que não contemos com as cartas adequadas para dialogar com determinada pessoa, mesmo que a conversa termine bem mal, ainda assim progredimos. Prosseguimos.

A sorte, muitas vezes, dita as regras do jogo, e isto é algo um tanto quanto complicado, além de retirar do jogador, digamos, o “poder” sobre os acontecimentos em andamento.

Gráficos e trilha sonora

Os gráficos do jogo são muito bonitos, e parecem mesmo serem desenhados à mão. Trata-se de um estilo bastante agradável, e o jogo é bastante leve, capaz de rodar em uma ampla gama de computadores.

Signs of the Sojourner

A trilha sonora do título pende bastante para a world music, digamos, com pitadas de jazz, inclusive. Infelizmente, o jogo não conta com legendas em português do Brasil, o que pode dificultar um pouco as coisas para quem não se dá bem com o inglês.

Algumas considerações finais

Signs of the Sojourner é uma bela e interessante “novela visual” a respeito das dificuldades que podemos enfrentar em nosso dia a dia, ao nos comunicarmos com outras pessoas.

Com seus “diálogos através de cartas”, o jogo é bastante cativante e divertido, apresentando também ao jogador um mundo exótico e único.

Ficha técnica

Título: Signs of the Sojourner

Gênero: Aventura, Casual, Cartas

Desenvolvedora: Echodog Games

Publisher: Echodog Games

Lançado em: 14 de Maio de 2020

Plataformas: PC

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest