Saints Row IV (review aqui) foi originalmente lançado em 2013, para PC, Xbox 360 e PlayStation 3. A versão Re-Elected do título chegou ao mercado em 2015, para a geração atual de consoles, e eis que, finalmente, no último dia 27 de Março, Saints Row IV: Re-Elected desembarcou no console híbrido da BigN.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Posso até mesmo dizer que tem sido um prazer enorme jogar o título no Nintendo Switch, em meio a todo este caos e tristeza causados pela pandemia do novo Coronavírus e, também, em meio a tantos outros títulos, digamos, violentos.

Não que Saints Row IV não seja violento. Ele é, com certeza. Mas tudo nele prima pelo engraçado ao extremo. Pela zoeira. Pela gozação. O jogo não se leva a sério, e deixa isto bem claro para o jogador, o qual deve encará-lo, então, como algo leve. E eu posso te garantir: isto é bem fácil.

Vale lembrar que no Nintendo Switch, Saints Row IV: Re-Elected também chegou repleto de conteúdo (sem contar com sua maluca e divertidíssima campanha principal). Temos 25 malucos DLCs, incluindo as expansões “Enter The Dominatrix” e “How The Saints Save Christmas”.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

O port para o Nintendo Switch foi realizado pela Fishlabs, a mesma empresa responsável pelo port de Saints Row: The Third – The Full Package. Desta vez, entretanto, tivemos um trabalho de primeira: a Fishlabs fez o dever de casa, direitinho, e o jogo está super otimizado. Ele roda nativamente em 720p, no modo portátil, e a 1080p quando o Switch está no dock.

Mas vamos ao jogo, o qual é excelente!

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

A história de Saints Row IV, ou Saints Row IV: Re-Elected

Bem, digamos que a história do famoso título seja algo bastante escrachado. Espere por muitos palavrões, e até mesmo por uma certa evolução, em termos de surrealidade, em relação àquilo que vimos em Saints Row: The Third.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

De agora em diante, vou me referir ao título simplesmente como Saints Row IV: Re-Elected. Bem, digamos que temos imenso poder em nossas mãos, agora, pois o protagonista do jogo, o chefão dos Third Street Saints, literalmente caiu na cadeira do presidente dos Estados Unidos da América.

Enquanto presidente, e logo no início do jogo, a Terra é invadida por alienígenas. Trata-se do Império Zin, liderado pelo irreverente, hilário e bastante falante Zinyak. Zinyak, aliás, é dublado de maneira estupenda por um ator chamado JB Blanc.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Bem, voltando ao jogo em si, há aqui uma engraçadíssima referência a Matrix. Ou melhor dizendo, o Império Zin cria uma espécie de Matrix, e no início, lança o protagonista em uma simulação que lembra bastante a década de 50.

Acontece que, conforme o desenrolar dos acontecimentos, o personagem principal de Saints Row IV: Re-Elected acaba “destruindo”, “quebrando”, a tal simulação.

O líder do Império Zin, então, o lança em outra simulação, desta vez em Steelport, nossa conhecida cidade. Sim, agora estamos em uma simulação de Steelport, a mesma de Saints Row: The Third, por exemplo.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Superpulo

Tudo de agora em diante será maluquice pura. Sandice. Acontecimentos capazes de fazer com que você dê muitas risadas não tardarão a surgir, e vale citar a presença de ótimas músicas em meio a todo aquele caos, como por exemplo “I Don’t Want to Miss a Thing”, do Aerosmith, em um momento bastante hilário, para não dizer ridículo.

Ah, isto sem falar em “What Is Love”, do Haddaway, enquanto você corre em um circuito alienígena pilotando uma moto futurística. Tal cenário e acontecimento, aliás, não deixam de nos fazer lembrar bastante de TRON.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Digamos que a história seja algo facilmente esquecível, até mesmo porque, estando em uma simulação, vamos pouco a pouco ganhando super poderes e ficando cada vez mais fortes.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Jogando

Em relação aos poderes que ganhamos, vale ressaltar que em determinados momentos, estes até mesmo tornam a utilização de veículos (sim, podemos roubar carros, assim como em GTA) desnecessária.

Temos poderes diversos no jogo: supervelocidade, capacidade de dar saltos altíssimos (além de sermos capazes de escalar prédios a velocidades vertiginosas), raios congelantes, rajadas de fogo, telecinese, etc.

Tudo isto acontece através dos devidos upgrades, os quais podem ser adquiridos conforme obtemos pontos espalhados pela cidade simulada, na forma de espécies de “concentrações energéticas”.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Telecinese

Praticamente não existem limites em Saints Row IV: Re-Elected. A zoeira é elevada, realmente, ao cubo. A Deep Silver, a Fishlabs e a Volition estão de parabéns. O jogo inteiro é uma maluquice só, com direito inclusive a momentos em que deixamos nosso “hacker interior” agir.

Sim, podemos hackear determinados estabelecimentos na simulação de Steelport, a fim de abri-los, e também lidar com códigos maliciosos. Tais códigos maliciosos, aliás, podem assumir formas bastante inusitadas, como por exemplo vasos sanitários.

Kinzie, a eterna amiga e braço direito do presidente, continua plenamente atuante, porém em uma nave espacial (aliás, vale ressaltar que fugimos logo no início de uma gigantesca nave Zin, pilotando outra espaçonave, em um momento bastante emocionante).

Kinzie tenta de todas as maneiras arrumar meios para romper, quebrar a simulação, e o protagonista pode inclusive ir até sua nave. Ele pode até mesmo chegar a flertar com a moça e, bem, o que acontece a seguir é algo verdadeiramente risível ao extremo.

Aliás, vale ressaltar aqui os diálogos com Kinzie: geralmente são todos extremamente engraçados. A moça não respeita muito o tal novo presidente dos Estados Unidos, deixa isto sempre bem claro quase sempre, e o cara, para falar a verdade, é um verdadeiro brucutu.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Os controles do jogo são fáceis e intuitivos. Entretanto, deixo aqui um aviso: desabilite o controle da mira através do sensor de movimentos. Isto causa um problema bem chato: fica mais difícil mirar, pois qualquer movimento no controle (Joy-Cons no Grip) é interpretado, e temos então a impressão de que estamos experimentando o triste e conhecido problema de “drift”.

Mundo aberto

O mundo aberto de Saints Row IV: Re-Elected é delicioso. Existem atividades aos montes, e você facilmente “perderá” muito tempo apenas perambulando por ele.

Testando os poderes especiais do presidente, escalando prédios e destruindo pontos de controle do Império Zin (o que enfraquece a atuação dos mesmos na cidade), etc.

É impossível permanecer incólume quando tanta maluquice é colocada diante de nossos olhos, e vale destacar que até mesmo clínicas de cirurgia plástica existem em Steelport, caso você deseje dar uma “repaginada” no visual de seu personagem.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

A bela e maluca Steelport

Isto sem falar que existe um número enorme de missões secundárias no jogo, ou sidequests. Inclusive, existe uma em específico durante a qual você deve causar o máximo de dano possível em seu corpo (lembre-se, você está em uma simulação), se lançando contra prédios, carros e outros elementos.

Também existem diversas coisas para coletarmos, incluindo determinadas anotações a respeito do passado do chefe Zin, o espetacular (sim, por incrível que possa parecer) Zinyak. Isto sem falar em caches e clusters, por exemplo.

Trata-se, verdadeiramente, de um mundo aberto repleto de bizarrices, e é preciso ser muito chato, de verdade, para não dar altas gargalhadas enquanto se está jogando esta obra prima.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Gráficos

Colorido como nos outros consoles e no PC, o Saints Row IV: Re-Elected para o Nintendo Switch não foge a esta regra. O título, além disso, roda razoavelmente bem, atingindo os 30 quadros por segundo durante a maior parte do tempo. Engasgos ocorrem, de vez em quando, mas estes são bastante raros.

Jogando em uma TV ou monitor, a resolução melhora: pulamos para 1080p, ao invés dos 720p do modo handheld. Foi no modo TV, porém, que notei alguns engasgos, enquanto, por outro lado, no modo portátil, o game fica um pouco escuro.

Obs: os engasgos geralmente ocorrem quando existem muitos elementos na tela, simultaneamente.

No geral, o visual do game é aquele mesmo de 2015, nos consoles da atual geração, mas o título não envelheceu mal. No Switch, existem momentos muito bonitos, por exemplo, além de reflexos e sombras extremamente convincentes, digamos.

A Steelport simulada, além disso, conta com diversos “glitches propositais”: afinal de contas, estamos falando de uma simulação por computador, e isto pode se refletir até mesmo em muros onde visualizamos pixels formando os mesmos, pouco a pouco.

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Kinzie e o chefão

Serrilhados são também notados aqui e ali, e até que com bastante frequência: mas quem se importa, quando temos nas mãos um pacote tão grande de diversão?

Saints Row IV: Re-Elected para Nintendo Switch

Algumas considerações finais

Saints Row IV: Re-Elected ficou muito bacana no Nintendo Switch. A Fishlabs e a Volition realmente acertaram a mão, e o resultado é um jogo bacana, muito gostoso de se jogar e, o mais importante de tudo: um título que oferece um enorme playground virtual para os jogadores ávidos pela insanidade comum à franquia.

Se você ainda não adquiriu o título, e possui um Nintendo Switch, vá sem medo!

Ficha técnica

Título: Saints Row IV: Re-Elected

Gênero: mundo aberto, ação

Desenvolvedora: Fishlabs / Volition

Publisher: Deep Silver

Lançado em: 27 de Março de 2020

Plataformas: Nintendo Switch

Versão analisada: Nintendo Switch

Pin It on Pinterest