Rebel Galaxy Outlaw é mais um exclusivo da Epic Games Store. Custando meros R$ 57,00, o jogo da Double Damage Games oferece aos aficionados pelo espaço e assuntos similares altíssimas doses de diversão de qualidade e emoção.

Você inicia o jogo praticamente sem nada, com pouco dinheiro e com uma nave pesadona e lenta, a cargueira Platypus (a qual me recorda, aliás, da Type-6 de Elite Dangerous).

Rebel Galaxy Outlaw

No papel principal temos Juno Markev, a qual está em busca do assassino de seu marido. Sim, ela tem em mente se vingar daquele que assassinou seu amado, e para isto atravessará setor após setor até atingir seu objetivo.

Mas calma aí, as coisas não são tão simples assim. Juno precisa de dinheiro e de contatos para concretizar seus planos, além de informações. Ela consegue rastrear o assassino até um lugar chamado Lubbock, mas aí, problemas acontecem, incluindo a perda de sua antiga nave.

Rebel Galaxy Outlaw

O alienígena Orzu é o primeiro a lhe ajudar (com suas próprias intenções em mente), fornecendo a ela inclusive a caixa nave Platypus. Ele também tem uma certa carga que deve ser transportada, cujo conteúdo é mantido em sigilo.

Juno parte, então, em uma jornada divertidíssima em um universo repleto de perigos, de piratas e de pedidos de socorro que podem (ou não) ser investigados. Rebel Galaxy Outlaw, aliás, também é uma bela homenagem a jogos clássicos espaciais, como por exemplo Wing Commander: Privateer.

Ele possui lá também suas semelhanças com Elite Dangerous, no sentido de que somos livres, em seu universo composto por vários sistemas estelares cuja grande maioria possui nomes de estados ou cidades norte-americanos, pois podemos contrabandear, podemos trabalhar como comerciantes legais, vendendo produtos em diversos pontos da galáxia, podemos caçar recompensas e podemos também lutar.

Rebel Galaxy Outlaw

Podemos combater naves piratas e/ou mercenárias quando bem desejarmos, e eu confesso a você que o combate aqui é muito mais divertido e fácil do que o combate em Elite Dangerous. Desde que você jogue no nível de dificuldade “normal, é claro. Aliás, até acredito que este é o modo de jogo no qual a desenvolvedora deseja que os jogadores se foquem. Não estamos aqui lidando com um simulador espacial, nem nada parecido – muito pelo contrário.

Vale ressaltar que as naves, de maneira um tanto quanto similar ao que acontece no jogo da Frontier, permitem o total controle da distribuição de energia: podemos distribuí-la para os subsistemas que estão exigindo mais no momento, como por exemplo motores, escudos ou armamento. Podemos também utilizar um boost temporário (afterburner), e podemos controlar a velocidade da nave conforme bem desejarmos.

A grande sacada da Double Damage Games, entretanto, foi introduzir um modo de “perseguição automática”: jogando no nível normal, como eu mencionei acima, basta travar a mira em um alvo para que sua nave então o persiga automaticamente: você só terá que lidar, então, com a parte do ataque.

Rebel Galaxy Outlaw

À partir daí, é aquele “jogo de dogfighting” sensacional. Dependendo do armamento presente em sua espaçonave e da distância do inimigo (tente “grindar” ao máximo para partir logo para um próximo nível, obtendo uma Sandhawk), você observa em tempo real os danos causados em seu oponente, incluindo peças de sua nave se desprendendo, explosões, etc.

É muito bacana observar o dano causado nos inimigos também através dos sensores de nossa nave, para termos uma ideia melhor e mais precisa do quão rápido iremos deles dar cabo.

Rebel Galaxy Outlaw

Mas voltando à “perseguição automática”, basta manter o gatilho esquerdo pressionado, após travar no alvo, para que o inimigo seja perseguido até sua eliminação, sendo que o próprio jogo, neste caso, toma conta de detalhes como aceleração, por exemplo.

É uma pena que a história de Juno Markev seja extremamente superficial em Rebel Galaxy Outlaw. Ela está ali, digamos, apenas para “encher linguiça”, e você muito facilmente se esquecerá dela, dado também o grande número de missões secundárias que podemos obter em planetas e postos avançados espalhados pelo universo do jogo.

Rebel Galaxy Outlaw

Dogfighting

E eu digo que é uma pena porque há bastante potencial ali para ser explorado, mas tal potencial também deveria incluir a própria protagonista, a qual é também bastante rasa. Infelizmente. Isto é percebido também através dos diversos diálogos que podemos travar nos bares espalhados pela galáxia, em postos avançados diversos. Nestes bares, aliás, podemos jogar bilhar, dados e até mesmo tentar a sorte em slot machines – e vale ressaltar que tudo isto é muitíssimo bem feito.

Mas em minha opinião, Rebel Galaxy Outlaw é um jogo onde o próprio jogador deve escrever sua história. Onde o próprio jogador deve se erguer do nada até alcançar o topo, tornando-se capaz de enfrentar qualquer ameaça proposta pelo jogo.

Vale lembrar que em vários momentos um certo nível de grinding é necessário, e isto não apenas para a aquisição de novas naves. Missões paralelas e principais podem exigir naves, armamento e níveis mais poderosos, e aí é então que entra em cena o famoso e muitas vezes nefasto grinding.

Dogfighting

Cada posto avançado ou planeta em Rebel Galaxy Outlaw conta com uma gama completa de serviços. Temos um bar, geralmente, onde podemos conversar com o barman para obter informações e até mesmo novas missões, e podemos também conversar com determinados personagens chave.

Podemos também participar dos jogos, mini games, já acima mencionados (bilhar, por exemplo), e podemos ir até a “oficina”, onde somos então capazes de melhorar nossa nave (também podemos adquirir uma nova nave, é claro, através do ship dealer).

Rebel Galaxy Outlaw

Na “oficina”, podemos adquirir novo armamento, incluindo torpedos, canhões diversos, lasers, etc. Podemos também adquirir afterburners (caso você tenha vendido o seu acidentalmente ou caso sua nave careça de um), podemos também aplicar itens cosméticos à nave, como bobbleheads e cartões postais, etc.

Vale lembrar que, como em Elite Dangerous, Rebel Galaxy Outlaw “dosa” de forma bastante precisa a energia consumida por todos os elementos da nave. Portanto, caso você possua, por exemplo, uma nave espacial com 4 hardpoints e tenha armas poderosas em todos eles, pode ficar constantemente “sem gás”, o que é um tanto quanto perigoso no calor da batalha.

Aqui, todo o cuidado é pouco, e a aquisição de powerplants mais poderosas é capaz de reverter o danoso processo de queda de energia em momentos cruciais (você tem que aguardar o recarregamento das armas). Obs: powerplants bons e poderosos custam bem caro.

Rebel Galaxy Outlaw

Também nas “oficinas”, ou “equipment bays”, podemos comprar e instalar radares, compartimentos de carga (caso você vá se dedicar ao comércio), etc. É possível personalizar cada nave de acordo com o estilo do jogador, desde que, é claro, ele tenha os créditos necessários na conta.

Com tudo isto dito, fica mais do que claro que o jogo é complexo porém nem tanto. Os combates acabam se tornando extremamente divertidos, dada a presença da “perseguição automática” (um dedo no gatilho esquerdo e o outro no direito, para os disparos das armas presentes em cada um dos hardpoints – sem falar nos torpedos, obviamente, mapeados para outro botão).

Existem também momentos em que podemos utilizar de diplomacia, em Rebel Galaxy Outlaw. Podemos ser literalmente arrancados de nossa viagem rápida em direção a determinado posto avançado (sim, o jogo permite que você viaje à velocidade da luz, com todos os efeitos pertinentes visualizáveis em tela, mas também permite que você viaje de forma mais rápida e automática em direção ao alvo) por piratas.

Eles começam geralmente a atirar tão logo cheguemos perto deles, mas via rádio, podemos estabelecer um diálogo e meio que dizer que aquilo poderia ser resolvido de outra maneira: acredite-me, muitas vezes eles aceitam nosso “pedido de clemência” e vão embora.

Rebel Galaxy Outlaw

Rebel Galaxy Outlaw é um sensacional playground espacial para os aficionados pelo gênero. Com seus combates simplificados (mas você ainda pode jogar em outros níveis e/ou gerenciar a distribuição de energia da nave, por exemplo, além de controlar a aceleração e a frenagem), ele pode cair no gosto de uma ampla gama de jogadores, jogadores sedentos por bons jogos espaciais repletos de coisas para fazer.

Fica claro também que o desejo da Double Damage Games era criar um game focado nos combates espaciais: você terá de combater em muitas missões, mesmo durante suas viagens como mercador (itens podem ser adquiridos em outposts e vendidos em outros, com os devidos lucros – é sempre bom ficar de olho nas oscilações de preços).

Mas até mesmo simples abordagens a postos avançados podem ser impedidas devido à presença de piratas, e aí, você pode então “entrar no jogo” e atacá-los, só tomando cuidado para não ser pego de surpresa, digamos, com armas e nave ruins, com pouco poder de fogo (daí, mais uma vez, minha insistência no grinding), etc

E os combates são deliciosos, principalmente quando solicitamos a ajuda de um amigo NPC (me lembro aqui das Wings em Elite Dangerous), ou então quando forças policiais entram em cena e chegam inclusive a nos agradecer pelo trabalho feito.

Rebel Galaxy Outlaw

Dignos de nota também são os interiores das naves: cada nave conta com um cockpit diferenciado e muito bonito, além de detalhado. Posições de radares mudam, por exemplo, além de controles e outros elementos, como sensores.

Além disso, vale ressaltar que o jogo é um dos (senão o primeiro) primeiros jogos na Epic Games Store a contar com cloud saving, da mesma forma que o Steam Cloud. Além disso, o título conta com um editor que permite que cada nave seja personalizada de forma bastante precisa e complexa.

Rebel Galaxy Outlaw

Tal editor é extremamente poderoso, diga-se de passagem, e eu mesmo fui capaz de realizar apenas pequeninas modificações, tamanho o grau de complexidade do mesmo, o qual até mesmo lembra um pouco de softwares gráficos como o GIMP.

Tenho também que mencionar a trilha sonora do jogo, a qual é fantástica. São mais de 24 horas de música, distribuídas em diversas rádios que podemos ouvir à bordo da nossa nave, incluindo country, rock, clássicas e eletrônicas.

Rebel Galaxy Outlaw

É muito bacana, e o pessoal da Double Damage Games inclusive chegou a divulgar um link contendo playlists no Spotify que cobrem todo esse conteúdo. É muito bacana, vale a pena dar uma conferida.

Enfim, Rebel Galaxy Outlaw é um game bastante adequado a quem aprecia jogos com temática espacial com foco nos combates, os quais acabam se tornando extremamente divertidos devido a mecânicas interessantes e extremamente bem vindas inseridas por sua desenvolvedora.

O jogo, além de tudo, conta com gráficos muito bonitos, e não exige um “PC da Nasa” para rodar. Se você, como eu, é fã do gênero, vá sem medo.

Ficha técnica

Título: Rebel Galaxy Outlaw

Gênero: espacial, combate, simulação espacial

Desenvolvedora: Double Damage Games

Publisher: Double Damage Games

Data de lançamento: 13 de Agosto de 2019

Plataformas: PC

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest