My Friend Pedro é um daqueles jogos que se tornam extremamente viciantes com pouco tempo de jogatina. No papel de um mercenário que é caçado pelo submundo do crime, e tendo como companheira uma banana falante cheia de tiradinhas sarcásticas e/ou engraçadas, o jogador encara, durante o gameplay, tiroteios insanos e muita ação frenética.

É preciso descobrir o que aconteceu. Por que estão te caçando? Por que chefões do crime estão atrás de você? Por que tamanha violência (sim, o jogo conta com altas doses de violência e sangue)?

My Friend Pedro é uma divertidíssima e empolgante jornada através de cenários repletos de inimigos e puzzles que exigem a ativação de switches na ordem certa para que ganhemos acesso a plataformas mais elevadas e/ou a áreas bloqueadas.

Muitos destes quebra-cabeças, se é que podemos chamá-los assim, envolvem também a utilização do nosso próprio peso (olha a física aí entrando em cena), em espécies de balanças que fazem com que portais então se abram à nossa frente.

My Friend Pedro

O jogo da DeadToast Entertainment representa mais uma deliciosa experiência publicada pela Devolver Digital, e ele custa menos do que uma pizza. A banana senciente, aliás, tem sempre algo a dizer ao protagonista sem nome: uma piada, um aviso, um alerta sarcástico, ou alguma bobeira qualquer. Ela é, talvez, a companheira de aventuras perfeita para o personagem principal que nada diz e cujo rosto está sempre coberto por uma máscara.

Em My Friend Pedro existem diversas mecânicas interessantes, que tornam a jogatina mais interessante e divertida ainda. Violento, o jogo permite que miremos em duas direções ao mesmo tempo (desde que estejamos empunhando uma arma em cada mão), e também conta com um recurso muitíssimo bem vindo que lembra bastante do bullet time de Max Payne.

My Friend Pedro

Ao pressionar de um botão, tudo fica em câmera lenta, e aí temos mais tempo para mirar com precisão, para desviar de tiros com maestria (lembrando que o personagem pode também se esquivar enquanto fora da câmera lenta), e para realizar verdadeiras coreografias mortais, despejando balas certeiras sobre inimigos que nem chegam a ver o que os atingiu.

My Friend Pedro

O jogo permite, como já dito acima, verdadeiras coreografias de morte. O personagem principal se movimenta com extrema fluidez, com grande elegância, e em muitos momentos, nos remete até à franquia Matrix.

Ele também é capaz de saltar entre paredes e assim alcançar lugares mais altos, é capaz de chutar inimigos e objetos espalhados pelo cenário, e também pode utilizar objetos presentes nos ambientes a seu favor: é muito divertido, por exemplo, chutar galões de gasolina bem no meio dos adversários para então fazer com que eles explodam com um único tiro, matando todos ao redor.

Tudo vale pontos, é importante destacar, e um multiplicador vez ou outra aparece em tela, mostrando como vai indo o seu desempenho. Ao final de cada fase (existem 40), são exibidos detalhes a respeito de nosso desempenho, vale ressaltar, incluindo uma nota.

My Friend Pedro

O próprio jogo não se leva a sério, a começar pelo que foi dito no parágrafo anterior. Além disso, uma banana falante em um jogo eletrônico pode muito bem levar qualquer pessoa a acreditar piamente que o jogo em questão é uma verdadeira piada (no bom sentido), e o fato é que My Friend Pedro é justamente assim. Divertido. Carismático. Rápido. Frenético. Casual, também (pelo menos no nível “Normal” – mas ainda assim espere por desafios). Hilário. Sangrento.

O enredo de My Friend Pedro não é lá dos mais profundos. Na verdade, ele está ali mais para encher linguiça, mesmo, pois o que importa realmente é matar o maior número de inimigos enquanto atravessamos seus diversos cenários.

Com perspectiva lateral, o título da DeadToast Entertainment promete diversão garantida para jogadores em busca de algo onde possam sair distribuindo tiros a torto e a direito, sem pensar em maiores consequências e/ou escolhas que alterem o rumo da trama.

My Friend Pedro

Muito pelo contrário. A trama é “fixa”, digamos: você sempre terá um chefão para matar, ao final de cada sequência de níveis. Você sempre terá inimigos armados até os dentes te aguardando em diversos locais do mundo do jogo, seja abaixo ou acima.

Também é possível utilizar ganchos espalhados pelos ambientes e fazer tirolesas extremamente rápidas, tudo isto enquanto rodopiamos para desviar dos tiros e atiramos em duas direção, mirando em inimigos acima e abaixo. É muito divertido.

O design dos cenários também contribui, de vez em quando, para que o jogador possa abordar determinadas situações de formas mais versáteis. Vez ou outra somos brindados com a possibilidade de visualizar as posições inimigas antes de abrir a porta que fará com que eles tomem conhecimento de nossa chegada.

Assim, podemos pensar em táticas para abordar a situação a contento, fazendo uso das costumeiras pistolas (uma em cada mão), de metralhadoras ou então de escopetas poderosíssimas, porém com curto alcance.

My Friend Pedro

Vários ambientes nos cenários de My Friend Pedro também contam com elementos destrutíveis. Isto sem falar em elementos que podem ser utilizados a nosso favor: mesas, por exemplo, podem ser viradas e servirem como cobertura, no meio de frenéticos tiroteios.

Barris podem ser chutados contra os inimigos e provocarem mortes valiosas para o protagonista. Skates e motocicletas também podem ser utilizados pelo personagem principal, vale lembrar, em momentos que brilham bastante, principalmente quando aliamos a isto tudo a movimentação fantástica do protagonista e a presença dos inimigos, “pedindo para serem mortos”.

My Friend Pedro

O game faz um excelente trabalho ao entregar ao jogador um conjunto audiovisual sensacional. Não que tenhamos gráficos super hiper ultra fantásticos, não se trata disso. Eles são apenas competentes, digamos. O que acontece é que o espetáculo exibido em tela, principalmente através do uso do “bullet time”, é fantástico. Sangue quase espirra no monitor, em diversos momentos, e os inimigos podem sofrer mortes verdadeiramente horríveis.

My Friend Pedro

Em certos aspectos, My Friend Pedro me lembra até de Ruiner (também publicado pela Devolver Digital), com sua ação incessante, com sua violência explícita, com o sangue que jorra à todos os instantes.

Aliás, fica aqui uma menção honrosa também à trilha sonora do game, composta por Navie D. Ela é em grande parte eletrônica, e funciona como um ótimo combustível no meio da ação, fornecendo aquela dose extra de adrenalina para que o jogador invista mais nas mecânicas oferecidas pelo jogo.

Para que ele utilize mais a câmera lenta e mate mais inimigos de maneiras sensacionais. Para que ele tente se superar à todo instante. Grande trilha sonora, e eu recomendo que você a adquira, se possível: ela também está disponível no Steam.

My Friend Pedro

My Friend Pedro é um dos melhores lançamentos da Devolver este ano. Rápido, para jogar sem pensar em um enredo intrincado que talvez só atrapalhasse, dada a proposta do game, violento, direto ao ponto e cheio de detalhes interessantes, como por exemplo a câmera lenta, a utilização de objetos do cenário e a possibilidade de gerar um GIF com os melhores momentos do gameplay. Adquira, se puder, o quanto antes!

My Friend Pedro

A cópia de My Friend Pedro utilizada neste review foi gentilmente cedida pela Nuuvem, a maior loja de jogos digitais para PC da América Latina. Lá você pode encontrar não apenas My Friend Pedro, mas também uma série de outros games, incluindo muitas ofertas bacanas. O catálogo da loja é enorme, e inclui inclusive jogos ativáveis no Steam.

Ficha técnica

Título: My Friend Pedro

Gênero: ação, indie, tiro

Desenvolvedora: DeadToast Entertainment

Publisher: Devolver Digital

Data de lançamento: 20 de Junho de 2019

Plataformas: PC, Nintendo Switch

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest