A franquia Metro, da desenvolvedora ucraniana 4A Games, sempre foi melancólica. A mesma melancolia encontrada no livro Metro 2033, por exemplo. Aliás, toda a série de jogos eletrônicos é baseada na obra do escritor e jornalista russo Dmitry Glukhovsky, é sempre bom lembrar.

Bem, mas foi assim com Metro 2033, foi assim com Metro: Last Light, e foi assim também com Metro Exodus, lançado durante o ano passado. A melancolia impera, mesmo em momentos de combate intenso, pois estamos ali combatendo pessoas e mutantes vítimas do mesmo mal que nos amedronta. Que nos sufoca. Que pode nos matar.

Metro Exodus - Sam's Story

A desenvolvedora ucraniana 4A Games, formada por ex-funcionários da GSC Game World (série S.T.A.L.K.E.R.), certamente trouxe consigo grande bagagem no que diz respeito a este assunto, pois consegue criar ambientações, personagens e enredos fantásticos, dentro do gênero. Mas tudo imbuído de grande melancolia, a começar pelos cenários e paisagens que atravessamos, totalmente devastados.

Metro Exodus, lançado em 15 de Fevereiro de 2019, já “saiu do forno” com a previsão de lançamento de apenas 2 DLCs. O primeiro, “The Two Colonels”, já foi analisado aqui no XboxPlus.

A história de Metro Exodus – Sam’s Story

E hoje trago a vocês meu review de Sam’s Story, a história de Sam, o ex fuzileiro naval que trabalhava na embaixada norte-americana em Moscou, antes da guerra.

Metro Exodus - Sam's Story

Sam fez parte do grupo de Rangers Espartanos que abandonou os Metrôs e viajou com Artyom e o Coronel Miller à bordo da locomotiva Aurora, em Metro Exodus, atravessando uma belíssima, perigosa e bastante aberta Rússia pós-apocalíptica.

Agora, em Sam’s Story, ele tem em mente voltar para casa, custe o que custar. Ele deseja ardentemente rever seu velho pai, e para isto pretende, obviamente, encontrar meios de viajar até San Diego, nos Estados Unidos.

Metro Exodus - Sam's Story

Ele se agarra à esperança de que seu pai ainda esteja vivo, e tem também fortíssimas lembranças de quando prometeu a seu pai que aquela seria sua última missão (a embaixada) – algo que, como sabemos, acabou se transformando em um tormento de mais de 20 anos, devido às bombas nucleares.

Logo no início do DLC, Sam parte em direção aos portos de Vladivostok para, quem sabe, encontrar aí algum tipo de embarcação que possa levá-lo até sua antiga casa.

Sam entra em contato com nativos russos e também com bandidos, todos, obviamente, “querendo o seu couro”. Após determinados acontecimentos, os quais incluem uma luta ferrenha entre o protagonista (bastante falante, ao invés do mudo Artyom) e um grupo de inimigos, Sam acaba conhecendo um poderoso chefão em Vladivostok, conhecido como “Gato”.

Metro Exodus - Sam's Story

O tal “Gato”, na verdade, chama-se Tom (e também nasceu nos Estados Unidos), e tem em seu poder um gigantesco submarino nuclear. Sam logo vê aí a oportunidade tão desejada, principalmente após criar uma certa amizade, digamos, com Tom.

Metro Exodus - Sam's Story

Tal personagem, em Sam’s Story, pretende colocar o submarino, o qual está carregado de ogivas nucleares, em operação, saindo mundo afora e tentando criar, segundo suas próprias palavras, uma espécie de “recomeço”.

Sam também conhece, em suas perambulações por Vladivostok, um certo capitão, chamado Eduard Baranov. Baranov era, na verdade, o antigo comandante do grande submarino nuclear, e nunca chegou a disparar uma ogiva sequer, mesmo quando a guerra estourou.

Baranov chegou a iniciar a criação de um assentamento próximo à região portuária, o qual a princípio chegou a atingir um certo grau de prosperidade. Mas sem spoilers, neste review de Sam’s Story, este espetacular pacote de expansão. Este DLC verdadeiramente imperdível.

Metro Exodus - Sam's Story

A Aranhelétrica

Bem, Tom promete a Sam que o levará até seu antigo lar, desde que ele consiga determinado tipo de combustível necessário para colocar a grande embarcação em movimento. E é à partir daí que começam as grandes aventuras em Sam’s Story.

Jogando Sam’s Story

O DLC apresenta ao jogador um mundo muito mais aberto do que aquele que vimos em The Two Colonels (ali tivemos, na verdade, um “jogo em túneis”, basicamente). Aliás, temos aqui novas paragens e cenários (lindíssimos), porém nos é oferecida a mesma liberdade que tivemos na campanha principal. Um mundo bastante aberto, na verdade.

Metro Exodus - Sam's Story

Temos também de volta aquele velho mapa (já bastante utilizado por Artyom em Metro 2033), o qual representa também um risco, quando em uso, pois podemos ser atacados enquanto o observamos, e temos também novos tipos de mutantes para enfrentar (como se não bastassem, obviamente, bandidos e diversos grupos rivais que atacam Sam sem pensar duas vezes).

Metro Exodus - Sam's Story

Como estamos em um ambiente totalmente inundado, devido ao tsunami que o atingiu, Sam pode utilizar diversos barcos para se locomover, e o jogador deve sempre ficar atento ao mapa, pois não existe em tela nenhum tipo de indicação a respeito de qual é a direção a seguir (isto deixa o jogo extremamente imersivo – nada de HUDs, aqui).

Sam’s Story é um DLC delicioso. Quem jogou a campanha principal de Metro Exodus certamente ficará extremamente feliz ao jogar este DLC, o qual apresenta desafios na medida certa, grandes doses de ambientes claustrofóbicos e escuros, nos quais somos obrigados a utilizar nossa lanterna, e também belíssimas e devastadas paisagens, nas quais, muitas vezes, podemos observar verdadeiras aberrações “passeando”.

Metro Exodus - Sam's Story

É sempre importante destacar as pitadas (bem grandes) de horror em Metro Exodus e em seus DLCs. Neste aqui não poderia ser diferente: temos novos tipos de inimigos, como por exemplo as “aranhelétricas”, capazes de fazer com que qualquer tipo de equipamento elétrico pare de funcionar (imagine as complicações pelas quais passa o protagonista, ao lidar com tal inimigo).

O game coloca o jogador em constante estado de alerta, pois não é possível, jamais, prever o que encontraremos no andar de cima, se algum mutante insano, se algum horror sobrenatural, se algum inimigo ensandecido, etc.

Metro Exodus - Sam's Story

O submarino nuclear russo

Na história de Sam, o jogador pode sentir medo ao adentrar velhas construções, ônibus abandonados em cenários devastados, prédios escuros habitados por criaturas pavorosas, etc. O sangue pode gelar em nossas veias, muitas vezes, e isto é fabuloso (pelo menos para quem aprecia este estilo de jogo).

O combustível que o grande submarino russo precisa está localizado em uma base submarina, e é tarefa de Sam e do velho Capitão encontrarem meios de removê-lo e levá-lo consigo.

Metro Exodus - Sam's Story

Sam, o protagonista

O DLC conta com uma narrativa extremamente forte, bem desenvolvida, envolvente e extremamente cativante, sem falar no protagonista, o qual se mostra sempre firme, determinado, e disposto a fazer o que for preciso para tornar as coisas o mais justas possíveis.

A narrativa de Sam’s Story também nos apresenta a algumas reviravoltas e a alguns acontecimentos verdadeiramente perturbadores, tristes, quase que enlouquecedores, mas nem assim capazes de quebrar a firme vontade do protagonista.

Metro Exodus - Sam's Story

Algumas considerações Finais

Sam’s Story deve ser parada obrigatória para todos aqueles que jogaram Metro Exodus e acompanharam as aventuras de Artyom.

O DLC começa justamente do ponto onde a campanha principal do jogo terminou, e vale ressaltar que esta última pode diferir, dependendo de suas escolhas ao longo do gameplay.

Metro Exodus - Sam's Story

O DLC que conta a história do Ranger Sam faz parte do season pass de Metro Exodus, mas também pode ser adquirido separadamente. Ele oferece algo em torno de 5 a 7 horas de gameplay, e eu posso garantir a você que serão horas muitíssimo bem gastas.

Durante o gameplay, aliás, somos forçados a tomar algumas decisões bastante importantes, porém muito complicadas. Elas impactam de forma brutal o desenrolar dos acontecimentos, vale ressaltar.

Metro Exodus - Sam's Story

“Passeando” de barco…

Eis aqui, feliz ou infelizmente, a linda conclusão para Metro Exodus. A história de Sam merece ser experimentada, e os gráficos do jogo continuam lindíssimos, sem falar que ele continua muitíssimo bem otimizado, no PC (onde joguei).

O último e maior DLC para Metro Exodus é um verdadeiro presente para os fãs da franquia e/ou todos aqueles que jogaram Metro Exodus. Conseguirá Sam voltar para casa? Bem, aí você terá que jogar para saber.

Ficha técnica

Título: Metro Exodus – Sam’s Story

Gênero: pós-apocalíptico, FPS, ação, shooter, survival horror, DLC

Desenvolvedora: 4A Games

Publisher: Deep Silver

Data de lançamento: 11 de Fevereiro de 2020

Plataformas: PC, PlayStation 4, Xbox One

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest