HyperParasite é, acima de tudo, um roguelite. O jogo, entretanto, nos oferece também uma mescla entre elementos de bullet-hell e twin-stick shooter. Trata-se de um título desenvolvido pelo estúdio Troglobytes Games, e lançado no último dia 03 de Abril, para PC, Xbox One, PS4 e Nintendo Switch.

Sendo um roguelite, e com um nível de dificuldade bastante elevado, é natural que o game acabe afastando alguns jogadores. Eu mesmo possuo lá minhas “ressalvas” em relação a este gênero de jogo eletrônico, mas resolvi encarar o desafio e joguei o título do pequeno estúdio independente italiano.

No jogo, encarnamos um parasita. Um alienígena, na verdade, capaz de possuir corpos de seres humanos. E é justamente aí que está uma das grandes sacadas de HyperParasite: possuindo corpos, ganhamos todas as habilidades e armas do mesmo.

HyperParasite

“Love is in the air…”

Vale ressaltar, entretanto, que se “morrermos” enquanto na pele de algum ser humano, voltamos ao estado de parasita (uma espécie de gosma bastante nojenta). E caso venhamos a morrer em nossa forma real, aí então é Game Over.

Sobre HyperParasite

O título da Troglobytes Games pode ser melhor aproveitado (pelo menos no PC) através da utilização de teclado + mouse. Desta maneira, é muito mais fácil controlar nosso pequeno e gosmento parasita, bem como mirar nos inimigos.

Em sua forma real, o alienígena possui “armamento”, também: trata-se de rajadas de energia plenamente capazes, entretanto, de causarem danos nos inimigos.

O jogo possui um ritmo bastante acelerado, e também deixa bem claro que existem outros alienígenas vivendo na terra, sob “capas humanas”.

HyperParasite

É o caso de Wito, por exemplo,extraterrestre que possui inclusive uma loja, onde podemos, com o devido dinheiro em mãos, obviamente, adquirir determinados upgrades.

Podemos possuir corpos os mais diversos, desde donas de casa empurrando carrinhos de supermercados, até jogadores de basquete, passando por policiais e outros atiradores. E ao matarmos os cidadãos com os quais nos deparamos, podemos capturar seus cérebros e levá-los até Wito.

HyperParasite

Ali, há uma sala que exibe todos os corpos/hospedeiros passíveis de serem utilizados/possuídos, sendo que ao adicionarmos um cérebro a seu respectivo ícone, estamos meio que dizendo ao jogo que tão logo nos encontrarmos com o ser em questão poderemos possuí-lo sem problemas.

É importante ressaltar que em HyperParasite existem certos cidadãos que não podem ser possuídos a princípio: há um cadeado, inclusive, sobre suas cabeças. Poderemos assumir seus corpos posteriormente, com a devida captura de seus cérebros e o tal procedimento descrito acima, na sala do Wito.

O jogo é bastante rápido: podemos morrer muito facilmente, e ao longo do gameplay, enquanto no “campo de batalha”, podemos também ganhar determinados upgrades, os quais podem ser melhorias nas defesas, melhorias nos ataques, ou então vidas extras para o parasita interplanetário.

HyperParasite

É importante ressaltar que, no jogo, todos estão atrás do parasita. Todas as pessoas sabem quem somos, e todas vêm em nosso encalço com unhas e dentes, sedentos pelo nosso sangue (ou gosma sabe-se lá de que cor).

Isto até mesmo pode ser explicado pela história de HyperParasite: o objetivo de nosso gosmento alienígena é chegar até o presidente, matá-lo, assumir seu corpo e, bem, dar início a um certo evento de enormes proporções.

Jogando

Joguei (e continuo jogando) HyperParasite no PC. Testei um controle (Xbox 360), e também o teclado e mouse. Acabei optando por este último conjunto: é muito mais fácil controlar o parasita, bem como mirar nos inimigos.

HyperParasite

Sendo um bullet-hell, o título também coloca o protagonista extraterrestre no meio de arenas repletas de inimigos humanos pertencentes a diversas classes, todos disparando contra ele ao mesmo tempo, o que acaba provocando, obviamente, uma “chuva de balas”. Uma chuva de possíveis riscos à nossa vida.

É bastante simples, a jogabilidade do game. O difícil é atravessar cada um dos cinco atos e enfrentar o chefe de cada um deles.

HyperParasite

Vale lembrar também que cada um dos níveis é gerado de forma procedural, o que garante diversão, digamos, para muito tempo. Além disso, é importante ressaltar que também no caso de cada chefe, caso morramos durante o embate, retornamos ao início do primeiro ato.

Gráficos e trilha sonora

HyperParasite lembra muito a estética dos anos 80. De filmes, jogos, desenhos e outras produções pertencentes a tal década. Temos muito azul intenso, além de neon para tudo quanto é lado. Isto sem falar em tons de rosa e roxo espalhados aqui e ali, os quais ajudam bastante a passar uma certa nostalgia ao jogador.

Os gráficos do jogo são simples, porém não se trata de nada que impacte negativamente o game. Existem também diversos elementos destrutíveis espalhados pelos vários cenários, tais como, por exemplo, barris, caixas, carros, caminhões, etc.

HyperParasite

A forma original do parasita

Já a trilha sonora, assinada por Van Reeves e Joe Kataldo, é um verdadeiro petardo: totalmente dentro da proposta oitentista que o jogo deseja nos passar.

Algumas considerações finais

HyperParasite, jogo que conta inclusive com legendas em português do Brasil, pode representar uma ótima adição à sua biblioteca.

HyperParasite

Desde que, é claro, você se sinta confortável em jogar um título extremamente desafiador. Um “roguelite bullet-hell twin-stick shooter” com várias referências a ícones dos anos 80, além, é claro, de sua estética oitentista sensacional.

Ficha técnica

Título: HyperParasite

Gênero: ação, roguelite, twin-stick shooter

Desenvolvedora: Troglobytes Games

Publisher: Hound Picked Games

Lançado em: 03 de Abril de 2020

Plataformas: PC, Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch

Versão analisada: PC

E enquanto isso, fique o trailer de lançamento do título:

Pin It on Pinterest