A publisher The Quantum Astrophysicists Guild conta com alguns títulos extremamente interessantes em seu portfólio, tais como, por exemplo, The Bridge, Tumblestone, The Ambassador: Fractured Timelines e Deleveled.

A empresa parece procurar fugir do lugar comum, da mesmice que muitas vezes está nas pautas de diversas outras publishers, da repetição de conceitos e ideias. Enfim, a publisher costuma lançar jogos bem diferentes e únicos, e hoje escreverei a respeito de Breakpoint, o qual será lançado no Steam amanhã, 24 de Setembro de 2020.

Breakpoint

Boom…

Bem, digamos que Breakpoint seja uma pequena joia extremamente minimalista. Ele possui lá suas semelhanças com Geometry Wars e alguns outros games que seguem fórmulas semelhantes, porém, há um pequeno detalhe que talvez sirva para distingui-lo: nossas armas explodem quando quebram! E isto é muito bom!

Sobre Breakpoint

No jogo criado pelo Studio Aesthesia, nossas armas sempre irão explodir, em algum momento. Quando chegarem ao seu limite. Quando quebrarem, literalmente. No jogo, vale ressaltar que controlamos uma forma geométrica. Uma que combate, bem… outras formas geométricas – as mais diversas.

Todo o visual do jogo é bastante colorido, com muito neon, cores vibrantes e elementos que pulsam ao som de uma música eletrônica que deixa tudo ainda mais intenso e divertido.

Breakpoint

E existem várias armas à nossa disposição, as quais aparecem de tempos em tempos para serem coletadas: machados, espadas, lanças, etc. Podemos, ao longo de cada partida, coletar e utilizar até 5 armas diferentes, sendo que contamos com ataques fracos e fortes. É também possível lançarmos nossas armas contra nossos “inimigos”, veja bem – depende de nossa estratégia de jogo, ou do quão encrencados estamos.

O título que será lançado amanhã pela The Quantum Astrophysicists Guild é bastante viciante, embora difícil: você provavelmente se surpreenderá ao observar as leaderboards online, as quais contam com jogadores que já fizeram mais de 100 mil pontos (eu, com minha pouca habilidade neste tipo de jogo, mal ultrapassei os 22 mil pontos).

Jogando

Jogar é extremamente simples. Difícil é vencer as hordas infinitas de inimigos dos mais variados tipos, com padrões de ataque os mais distintos, os quais nos atacam sempre em altíssimos números, vindos de todos os cantos da tela.

Breakpoint pode ser perfeitamente jogado com um controle (no meu caso, testei-o também com um controle do Xbox 360). Entretanto, rapidamente cheguei à conclusão de que a combinação teclado + mouse é capaz de produzir resultados muito mais satisfatórios.

Breakpoint

Quando no “campo de batalha” de Breakpoint, girar nossa “nave”, mirar e atirar, enquanto na companhia do ótimo conjunto audiovisual hipnótico do jogo, é muito mais fácil, rápido e intuitivo, se feito com o mouse.

Breakpoint, além disso, conta com uma camada “estratégica” que permite que o jogador literalmente derrote quase todos os inimigos em tela. Conforme vamos destruindo mais e mais inimigos, percebemos que uma certa barra circular ao redor de nossa “nave” vai sendo esvaziada.

Quando ela é totalmente esvaziada, a arma de nossa forma geométrica controlável explode com grande pompa e circunstância, levando consigo quase todos os inimigos da tela. Bacana, não?

Breakpoint

Isto é chamado, no jogo, de “Quebra” (o título conta com interface totalmente localizada em português do Brasil). Nossas armas quebram e, assim, explodem, liberando enormes quantidades de energia. E temos inclusive o devido medidor (conforme dito acima), para nos informar quando a muitíssimo bem vinda explosão chegará.

Quando uma arma quebra, a energia liberada é lançada para todos os lados, destruindo quase tudo o que está em tela, menos a UI e o “protagonista”, obviamente. Existe também a carga máxima, e se você for sortudo o suficiente, obterá a mesma, o que resultará na “morte” de todos os inimigos em tela.

É importante destacar que Breakpoint é um jogo que se distingue de outros similares por oferecer ao jogador apenas armas melee. Ou seja, você é obrigado a chegar bem próximo dos inimigos, dependendo da arma em uso, para abatê-los. Nada de raios ou lasers, aqui.

Breakpoint

Isto é ao mesmo tempo um fator que eleva a dificuldade e algo que torna tudo mais divertido ainda: confesso que não tinha visto nada semelhante em nenhum outro título de algum modo similar a este lançamento do Studio Aesthesia e da The Quantum Astrophysicists Guild.

Os cinco tipos de armas disponíveis no game “dropam” de tempos em tempos, e confesso que gostei muitíssimo mais da lança, a qual tem um alcance maior e é capaz de fazer com que sejamos capazes de manter uma certa distância dos inimigos.

Breakpoint

Cada arma possui uma peculiaridade especial, entretanto; por exemplo, o machado é um tanto quanto lento ao realizar seu movimento rotativo, o que pode colocar o jogador em maus lençóis, caso os reflexos falhem por algum motivo. E assim por diante.

Breakpoint é um jogo minimalista, divertidíssimo, e que oferece hordas sempre enormes de inimigos até que bastante variados, sempre apresentados através de alguma forma geométrica. Existem até mesmo inimigos que lançam projéteis contra nós – um contraponto ao fato de que nós, mesmos, temos apenas o “combate melee”, digamos, à nossa disposição. Tudo para que a experiência seja mais desafiadora, é claro.

Breakpoint

Replays em Breakpoint

O jogo conta com leaderboards online, e permite que visualizemos não apenas replays de nossas próprias partidas, mas também os replays de qualquer partida, de qualquer jogador, em qualquer lugar do mundo. Isto é bem divertido, até mesmo para aprendermos, digamos.

Breakpoint

Algumas considerações finais

Breakpoint é um indie game extremamente divertido, capaz de proporcionar momentos intensos e repletos de gameplay bastante frenético. O jogo conta, além disso, com uma ótima trilha sonora, a qual “casa” muitíssimo bem com o gameplay.

Trata-se de um daqueles pequenos jogos para mantermos sempre instalado, para jogarmos quando desejarmos algo simples, direto e divertido. Não sei ao certo ainda o preço do jogo quando de seu lançamento, mas fique de olho, pois este é mais um pequeno grande lançamento que, quem sabe, iria passar “batido” pelo seu radar.

Ficha técnica

Título: Breakpoint

Gênero: Arcade, Twin-Stick Shooter

Desenvolvedora: Studio Aesthesia

Publisher: The Quantum Astrophysicists Guild

Lançado em: 24 de Setembro de 2020

Plataformas: PC

Versão analisada: PC

Enquanto isso, fique com o trailer de Breakpoint:

Pin It on Pinterest