Confesso que, apesar de possuir Aquanox em minha biblioteca no Steam, joguei pouquíssimo o título. O mesmo pode ser dito da franquia como um todo, e Aquanox: Deep Descent, por sua vez, chegou em muito boa hora, me proporcionando momentos de puro deleite.

O jogo desenvolvido pelo estúdio sérvio Digital Arrow é uma espécie de carta de amor aos fãs da série. Ele também contou com uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, em 2015, através da qual arrecadou mais de 95 mil dólares.

Aquanox: Deep Descent

E amanhã, 16 de Outubro de 2020, o título será lançado para PC, através do Steam, valendo também a pena lembrar que ele conta com legendas e interface totalmente em português do Brasil.

Sobre Aquanox: Deep Descent

Temos aqui o mais novo representante de uma série com mais de 20 anos de existência. O primeiro Aquanox foi lançado em meados de 1996, com o nome de Archimedean Dynasty (ou Schleichfahrt, em alemão – a desenvolvedora, a Massive Development, era alemã).

Aquanox: Deep Descent

Aquanox: Deep Descent, segundo sua própria desenvolvedora, é uma nova abordagem a diversos elementos da franquia. O jogo é algo verdadeiramente moderno, bonito de se ver (e gostoso de se jogar).

Aquanox: Deep Descent

Os sensacionais interiores dos submersíveis

O título roda na Unreal Engine, e apresenta ao jogador gráficos de acordo com a atual geração – bonitos mesmo, incluindo detalhes que podem levar os fãs da série (e também os recém-chegados) a momentos de pura nostalgia e/ou deleite.

O game da Digital Arrow está sendo publicado pela THQ Nordic, empresa que, aliás, vem lançando ótimos títulos, tais como, por exemplo, Destroy All Humans!, SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom – Rehydrated e Desperados III, dentre outros.

A perspectiva de Aquanox: Deep Descent é sempre em primeira pessoa. Pense nele como uma espécie de jogo de tiro em primeira pessoa com o uso de veículos submarinos, no jogo chamados de “naves”.

Aquanox: Deep Descent

Existem diversas naves aquáticas no game, aliás, as quais podem ser desbloqueadas pelo jogador conforme sua progressão, adquiridas, ou então recebidas como pagamento em algumas das diversas missões nele presentes.

Confesso que Deep Descent me lembrou bastante de Elite Dangerous, principalmente no que tange ao controle dos submersíveis. Afinal de contas, temos também aqui um título com veículos cujo controle é um tanto quanto complexo, além de estarmos imersos em um ambiente que, de certa forma, remete ao espaço visto no título da Frontier Developments.

Aquanox: Deep Descent

As águas de Aqua, o mundo onde tudo acontece, são repletas de inimigos e de perigos, e embora contemos com uma ótima campanha solo, o jogo também oferece ao jogador suporte a partidas cooperativas e multiplayer competitivas.

A história

Em Aquanox: Deep Descent, estamos em um mundo submarino. Em Aqua, para ser mais preciso. Acontece que, no jogo, a superfície do planeta Terra, devido a guerras nucleares e a outros acontecimentos desastrosos, se tornou inabitável.

E quando penso nos tais “acontecimentos desastrosos” do jogo, aliás, não posso me desligar do cenário atual em nosso planeta, com as mudanças climáticas, com tanta violência contra a natureza, com tanto desamor, por parte de muitos, por este nosso pequeno planetinha azul, a única casa que conhecemos, aliás.

Aquanox: Deep Descent

Bem, mas voltando ao jogo, Aqua é um mundo também cheio de violência. Colônias, estações, postos avançados e outros tipos de instalações, todos submersos, “guardam” aquilo que restou da humanidade – ou melhor dizendo, aqueles que foram se refugiar sob as águas.

Aquanox: Deep Descent

Neste mundo submarino, diversas facções encontram-se em constante conflito, e o jogador acaba meio que sendo inserido nesta guerra, acordando após um certo período de “congelamento” (em criostase), e logo adentrando uma simulação que funciona como um ótimo tutorial para o que vem a seguir.

Aquanox: Deep Descent

As facções de Aqua lutam por supremacia, por recursos e também por tecnologia. Em um mundo sem Sol, jogador e protagonista se dividem entre missões principais e secundárias, e combates acirrados contra naves tripuladas e não tripuladas, em ambientes muitas vezes repletos de fauna e flora extremamente hostis e perigosas.

Jogando Aquanox: Deep Descent

No jogo, você pilota várias naves. Tão logo inserido dentro da cabine, aliás, você percebe o cuidado extremo dos desenvolvedores com mínimos detalhes: diversos mostradores e monitores funcionam de acordo com as interações por parte do jogador, e eu confesso que senti falta de uma câmera externa, como a que temos em Elite Dangerous, ou pelo menos de um modo fotografia.

Aquanox: Deep Descent

Mas os interiores dos veículos submersíveis de Deep Descent são extremamente detalhados, e até mesmo o armamento, posicionado sempre nas laterais direita e esquerda, pode ser visto com alto nível de detalhes pelo usuário, seja durante seu funcionamento, seja enquanto ele está em “repouso”, seja durante as trocas entre armas primárias e secundárias.

As cabines também contam com um certo grau de ferrugem, aqui e ali, e os equipamentos denotam possuírem uma certa idade, já. Tudo isto torna o game ainda mais imersivo – pelo menos, para quem se atenta a tais detalhes.

O vidro frontal dos submersíveis, aliás, vai refletindo, pouco a pouco, os danos recebidos: rachaduras aparecem, aqui e ali, e neste caso, todo cuidado é pouco. Além disso, temos luzes vermelhas de alerta (além de avisos sonoros), para casos em que a situação da nave é verdadeiramente crítica.

Note que temos aqui um jogo cuja jogabilidade pode assustar um pouco uma certa parcela de jogadores, devido ao fato de que os submersíveis contam com controles um pouquinho complexos. Nada muito difícil, entretanto, se você completar o tutorial e tiver um pouco (pouco mesmo) de paciência.

Aquanox: Deep Descent

O game insere o jogador em um ambiente verdadeiramente hostil, é importante destacar mais uma vez. Temos flora e fauna afetados por radiação, incluindo muitos que podem atravessar o casco de nossas naves e, caso os devidos cuidados não sejam tomados, nos levar ao temido game over.

Aquanox: Deep Descent

Kaelen, Nabila, Fédor e Hannah, alguns dos Crios, recém despertos e personagens principais do jogo, acabam percebendo muito rapidamente que Aqua é algo, além de cheio de mistérios e perigoso, também extremamente fascinante.

Existem até mesmo instalações/portais gigantescos no fundo dos oceanos (os quais me lembraram até dos Mass Relays de Mass Effect), que permitem viagem rápida. Na verdade, tais portais são chamados de Portais Sênticos, e permitem, digamos, o “encurtamento de distâncias” (as animações que precedem tais “viagens” são sensacionais).

Algumas considerações finais

Aquanox: Deep Descent permite que upgrades em nossos veículos aquáticos sejam realizados em diversas estações, tanto no que diz respeito ao armamento quanto no tocante a sistemas os mais diversos. O game também permite que o jogador lide com crafting, utilizando, para tal, material que pode ser coletado durante explorações e missões, no fundo do oceano.

Aqua é um mundo onde é um tanto quanto difícil distinguir os amigos dos inimigos, e é muito provável que algumas missões acabem colocando em cheque a lealdade do jogador em relação a algumas facções. Algo bastante natural, aliás, pelo menos quando paramos para observar os pequenos detalhes da narrativa.

O jogo também possui, como já dito acima, suporte a partidas multiplayer e também a co-op, valendo a pena lembrar que no que tange ao multiplayer, é importantíssimo que você tenha domínio pleno de sua nave aquática.

Recomendadíssimo!

Ficha técnica

Título: Aquanox: Deep Descent

Gênero: Tiro, Exploração, Aquático

Desenvolvedora: Aquanox: Deep Descent

Publisher: THQ Nordic

Data de lançamento: 16 de Outubro de 2020

Plataformas: PC

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest