Anunciado durante a The Game Awards 2020, Shady Part of Me (página no Steam) é um jogo desenvolvido pelo estúdio francês Douze Dixièmes.

O jogo é muitíssimo focado, aliás, na narrativa, e conta com a presença da atriz Hannah Murray (Game of Thrones, dentre outros trabalhos), dublando a garotinha e sua contraparte, a “sombra”.

Shady Part of Me

Confesso a você que o título me pegou de surpresa, neste ano tão conturbado e difícil. Me pegou “de jeito”, digamos, e eu, que estou ainda “devendo” um review de Cyberpunk 2077, dele gostei imensamente.

Shady Part of Me conta com uma jogabilidade fácil de se aprender: difícil é lidar com os interessantes, intrigantes e desafiadores puzzles, conforme a aventura avança.

O jogo do estúdio parisiense brinca com elementos e cenários 2D e 3D de forma soberba, além de apresentar ao jogador “duas protagonistas”.

Sobre Shady Part of Me

No game, o qual foi publicado pela Focus Home interactive, temos, sim, duas protagonistas. Mas não da maneira que você talvez esteja pensando: acontece que o jogo nos apresenta a uma garotinha e sua sombra.

Shady Part of Me

Ambas são dubladas por Hannah Murray, aliás, o que torna o trabalho da atriz britânica ainda mais surpreendente. Shady Part of Me muito provavelmente é um daqueles “pequenos” lançamentos que se perdeu em meio aos grandes AAA.

Shady Part of Me

Lançado justamente no dia 10 de Dezembro de 2020, ou seja, no mesmo dia de lançamento do já acima mencionado Cyberpunk 2077, por exemplo, o jogo francês pode ter sido um tanto quanto “eclipsado”. E muito injustamente.

Pois trata-se de uma aventura e tanto, de um jogo capaz de divertir bastante, com uma narrativa muitas vezes emocionante e deslumbrante, embora um tanto quanto curta.

Shady Part of Me

O game, além disso, apresenta quebra-cabeças que envolvem a manipulação de objetos os mais diversos e a interação com alavancas e botões, tudo para ajustar, grande parte das vezes, a perspectiva, a direção de incidência da luz, a proporção, o tamanho, a refração, etc, de elementos “sombrios” e “luminosos”.

Tudo para formar caminhos para que a garotinha indefesa e quem sabe, até, um pouco imatura, possa se locomover, em meio às sombras (a luz é fatal, para ela), enquanto sua sombra se move em meio à luminosidade (aqui, em contrapartida, as sombras são fatais).

Shady Part of Me

Um pouco da história

Bem, digamos que há, sim, uma narrativa, em Shady Part of Me. Porém, ela é entregue ao jogador através dos diálogos entre a pequena e indefesa garotinha e sua sombra, a qual possui uma personalidade mais forte, mais decidida, mais observadora, até.

Uma depende da outra, isto é verdade: você será incapaz de finalizar qualquer cenário/puzzle apenas com a garotinha ou apenas com sua sombra.

Shady Part of Me

Além disso, é possível alternar entre uma e outra simplesmente pressionando um botão, e vale também ressaltar que é possível “voltar no tempo”, para que erros sejam desfeitos, para que mortes sejam, bem… desfeitas. E também aqui, basta apertar um simples botão, e retroceder o quanto você quiser.

Shady Part of Me

Mas voltando à história: a pequena garotinha empreende uma jornada em meio a cenários oníricos belíssimos, muitos dos quais envolvem elementos que, para o jogador mais atencioso, podem remeter a uma infância problemática.

O jogo lida com vários elementos emocionais, e em diversos momentos, somos até mesmo levados a crer que a narrativa também lida com elementos tais como, por exemplo, depressão e ansiedade.

A pequena garota que se movimenta no “mundo 3D” é bem diferente de sua sombra, a qual se movimenta em 2D (como em um side-scroller bastante tradicional – em partes).

Shady Part of Me

A frágil garotinha, com sua voz muitas vezes trêmula, pode muito bem ser interpretada como alguém que, por exemplo, passou por maus bocados. Isto pode ser até mesmo percebido logo no início do jogo, quando ela acorda ofegante, em sua cama, após um sonho ruim.

Shady Part of Me

À partir daí, o que temos em mãos é uma história envolvente, dramática, repleta de reviravoltas que envolvem também os vários puzzles apresentados, além de uma trilha sonora bastante cativante.

2D ou 3D?

Ambos. Shady Part of Me apresenta um gameplay misto, no qual o jogador pode transitar entre os modos 2D e 3D à vontade.

Shady Part of Me

Acontece que a sombra da pequena garotinha se movimenta apenas em 2D. Já a menina se movimenta em um cenário 3D, podendo transitar entre diversos planos à vontade, conforme a necessidade do momento.

Resolver um puzzle em Shady Part of Me envolve quase sempre um trabalho colaborativo entre a “versão sombria” da garotinha e ela mesma. Trabalho este, vale destacar, que deve ser realizado pelo jogador. Por um só jogador, em modo solo (sim, não há modo cooperativo no título).

Como já dito acima, é possível transitar entre ambos os cenários, à vontade, e à partir daí, pensar em soluções para os quebra-cabeças, os quais geralmente envolvem algum tipo de projeção nas paredes e elementos posicionados nos planos mais distantes, nos quais a sombra se movimenta.

Shady Part of Me

O jogo da Douze Dixièmes é verdadeiramente brilhante, ao mesclar 2D e 3D de forma tão natural e descomplicada. Você alterna entre um e outro modo de forma extremamente rápida, e tais alternâncias são sempre precedidas por um interessante efeito visual.

Jogando Shady Part of Me

O gameplay é delicioso, e o jogador vivencia momentos extremamente marcantes, além de diálogos muito interessantes entre ambos os personagens.

Além disso, há um certo “terceiro personagem”, o qual é introduzido no jogo mais adiante, o qual chega inclusive a criticar e/ou a ponderar algumas linhas de diálogo trocadas entre ambas as protagonistas.

Shady Part of Me nos insere em um mundo de sonho, repleto de engrenagens, velhos objetos ainda em funcionamento, brinquedos antigos e tristes e muitas vezes cabisbaixas figuras, as quais aparecem de vez em quando, ao longo dos cenários, em meio a tarefas as mais diversas.

Shady Part of Me

O game é também  sensacional por apresentar uma curva de aprendizado bastante suave: puzzles mais complicados, intrincados, são deixados para momentos mais avançados da aventura, de maneira tal a fazer com que o jogador se acostume com tudo e avance com gosto. Passo a passo.

Algumas considerações finais

Eis aqui um lindíssimo título. Um título com gráficos extremamente bonitos, aliás, em um estilo lembrando bastante aquarela, além de uma trilha sonora que ajuda bastante a inserir o jogador naqueles ambientes lúdicos e cativantes.

Aliás, é importante ressaltar que o jogo conta lá com sua parcela meio sombria, e apesar de a princípio ele ter me lembrado de Limbo, esta impressão passou muito, muito rapidamente.

Shady Part of Me representa um ótimo trabalho; mais um ótimo lançamento em 2020. Um jogo cativante ao extremo, com uma narrativa surpreendente em diversos momentos, e quebra-cabeças desafiadores na medida certa. Recomendadíssimo!

Ficha técnica

Título: Shady Part of Me

Gênero: Aventura, Puzzle

Desenvolvedora: Douze Dixièmes

Publisher: Focus Home Interactive

Data de lançamento: 10 de Dezembro de 2020

Plataformas: PC, Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest