Amnesia: Rebirth (site oficial) pertence a uma franquia que já tem lá seus 10 anos de existência. Tudo começou com Amnesia: The Dark Descent, em 2010, e a “saga” continuou, com Amnesia: A Machine for Pigs, em 2013.

Jogos de terror representam algo bem interessante. Muitos possuem enorme “prevenção”, digamos, quando se trata de jogá-los. No entanto, é uma verdade, também, que muitos, muitos jogadores, se sentem por eles atraídos de forma quase que automática, tão logo eles são lançados (como este que vos escreve, por exemplo).

Amnesia: Rebirth

Adoro jogos de terror. Adoro a expectativa, os sustos, os “pulos na cadeira”, os momentos de tensão e perseguição, as visões e os acontecimentos perturbadores. Enfim, títulos de terror, survival horror e congêneres, são por mim bastante apreciados.

Amnesia: Rebirth

E Amnesia: Rebirth possui lá também uma certa ligação com The Dark Descent. A própria Frictional Games afirmou que pensava, a princípio, em desenvolver uma “mera” sequência para o título de 2010. Porém, os planos mudaram. O escopo mudou. O jogo mudou, ao longo do desenvolvimento. E para melhor.

O que temos hoje em nossas mãos é um título ainda mais perturbador e profundo que seus predecessores. Temos algo verdadeiramente insano, mas que também guarda algumas surpresas aos jogadores que se dispuserem a explorar um pouco, a fim de descobrirem determinadas respostas relacionadas a Daniel, o protagonista do game de 2010.

Amnesia: Rebirth

Um dos melhores títulos de horror dos últimos tempos

Tudo, em Rebirth, colabora para criar uma atmosfera opressora ao extremo. O jogador irá se aventurar em templos antiquíssimos, em ruínas esquecidas, em cavernas capazes de provocar “problemas” àqueles que sofrem de claustrofobia, e muito mais.

Existem também aparições e referências a determinadas criaturas, para o bem ou para o mal, pertencentes ao imaginário de algumas culturas orientais, tais como, por exemplo, os Djinni e os Ghûl. E tudo isto, veja bem, é apresentado dentro de contextos assustadores, pelo menos para o jogador (o maior interessado, no caso).

Em Amnesia: Rebirth estamos na Argélia, e desta vez temos uma protagonista feminina. Anastasie Trianon, ou simplesmente Tasi. É no controle dela que iremos nos aventurar através de cenários meticulosamente criados para despertar o medo, o pavor; sustos sem igual.

Amnesia: Rebirth

Amnesia: Rebirth coloca o jogador em contato com diversos elementos e cenários insanos, também. Existe até mesmo a presença de construções e tecnologia (bastante estranhos) de uma determinada civilização perdida, veja só: e com tudo isto a assustada e muitas vezes perturbada Tasi tem de lidar.

O jogo todo, do início ao fim, é capaz de levar muitos jogadores ao “êxtase”, seja devido aos puzzles engenhosos, seja devido aos níveis capazes de causar extremo medo, imersão (jogue com um bom headset, e com as luzes apagadas) e apreensão, seja devido à perturbadora atmosfera que permeia tudo que o jogo nos entrega.

Amnesia: Rebirth

Uma narrativa e tanto em Amnesia: Rebirth

Em Amnesia: Rebirth, Tasi Trianon viajava à bordo de um avião, o Cassandra, quando um acidente aconteceu e o mesmo caiu, nos causticantes desertos da Argélia. Isto após a personagem principal visualizar, através de sua janela, uma estranha estrutura luminosa ao longe.

Tasi viajava à trabalho, na companhia de seu marido, Salim, bem como de outros personagens, tais como, por exemplo, o Dr. Anton Metzier. Todos estavam a caminho de um projeto, já em andamento, para a Companhia de Mineração Triple Crown.

Amnesia: Rebirth

Tudo acontece na década de 30, e Tasi acorda então com o Cassandra meio afundado nas areias do terrível deserto, momento em que o jogador é apresentado também a uma das mecânicas do jogo: mantenha-se longe do sol causticante, ou Tasi pode se dar mal.

Amnesia: Rebirth

Mas não existem muitos motivos para preocupação, neste quesito, pois durante a maior parte do tempo Tasi caminhará em meio a escuros, estranhos, assustadores e lindíssimos, muitas vezes, subterrâneos, muitos deles contendo resquícios de uma cultura esquecida.

Digamos também que existem, em Amnesia: Rebirth, algumas doses de horror cósmico, e qualquer fã de Lovecraft, por exemplo, poderá se deleitar à vontade enquanto se depara com certos elementos do jogo, seja na forma de puzzles, seja ao visualizar determinados pergaminhos, documentos ou estranhas tecnologias, ou até mesmo enquanto perambula por corredores há muito esquecidos.

Amnesia: Rebirth

Terminando agora com a breve digressão, Tasi acorda um tanto quanto atordoada, e o avião caído encontra-se vazio. Todos desapareceram (misteriosamente); porém, existem indícios de que eles, de alguma forma, talvez não tenham perecido.

Tasi também acorda com um estranho bracelete preso a seu pulso, e tal elemento é primordial em determinados momentos do jogo, pois ele permite a abertura de fendas que possibilitam que longas distâncias sejam percorridas em segundos, e também que viagens entre uma realidade e outra aconteçam.

Amnesia: Rebirth

A protagonista tem alguns lapsos de memória, também, através dos quais ela se pergunta se já esteve naquele local anteriormente, e tudo isto deve ser levado em consideração (bem alta) pelo jogador, para que a complexa trama seja perfeitamente compreendida.

Amnesia: Rebirth

Vale destacar que ao longo do jogo diversos documentos podem ser encontrados, e justamente devido a este motivo eu recomendo que você dê sempre uma explorada, pelos arredores. Tais documentos ajudam o jogador a entender melhor a trama, bem como fornecem alguns insights bastante interessantes à protagonista.

Um gameplay assustador em Amnesia: Rebirth

Jogar Amnesia: Rebirth é se deparar com sombras assustadoras. Com situações nas quais você se pergunta se realmente deve ir adiante ou não. Com monstros que surgem das sombras quando você menos espera.

Perseguições alucinantes também fazem parte do game, é importante destacar, bem como os quebra-cabeças já mencionados, alguns dos quais estão intrinsecamente ligados à tecnologia da tal civilização perdida.

Amnesia: Rebirth

Aqui temos o conceito de “medo”, como parte das mecânicas do jogo: Tasi é prejudicada dependendo de quanto tempo permanece no escuro, ou de quanto tempo visualiza coisas, digamos, perturbadoras.

Amnesia: Rebirth

Tais coisas perturbadoras podem ser, por exemplo, “apenas” a “mera” visão de um cadáver horrivelmente mutilado. E no que diz respeito à escuridão, a personagem principal pode utilizar fósforos e também uma muitíssimo bem vinda lanterna à óleo, adquirida em determinado momento do jogo.

Tochas estão espalhadas através de alguns ambientes, nas paredes, também, e elas podem ser acendidas com fósforos; vale também a pena lembrar que tais fósforos podem ser apagados por correntes de ar e de acordo com a movimentação da protagonista: portanto, muito cuidado ao carregar um fósforo aceso, caso deseje aproveitá-lo até o último momento.

Amnesia: Rebirth

Se você jogou Amnesia: The Dark Descent, algumas mecânicas e sistemas não irão te “assustar”: isto no sentido de que elas lhe serão bastante familiares. Temos que recarregar nossa lanterna de tempos em tempos, através de frascos de óleo de vários tamanhos que podem ser encontrados com uma certa facilidade.

Além disso, a “insanidade” aqui se transformou em níveis de “medo”, e caso estes últimos atinjam patamares alarmantes, Tasi pode começar a ter algumas visões bastante assustadoras.

Amnesia: Rebirth

A manipulação de alguns elementos do cenário permanece praticamente idêntica àquilo que vimos em The Dark Descent, ou seja, temos de realizar certos movimentos, com o mouse (joguei no PC – não sei como isto se dá no PlayStation 4), simulando aquilo que faríamos, digamos, caso estivéssemos “in loco”.

Amnesia: Rebirth

Tasi, por sua vez, carrega consigo algo muito importante. Algo que, dependendo da situação, faz toda a diferença entre níveis de medo maiores ou menores. Além disso, a protagonista acaba tendo estranhas visões. Visões na forma de um estranho brilho azul, o qual aparece vez ou outra e parece indicar-lhe o caminho a seguir: porém, estará tal elemento bem ou mau intencionado? Jogue para saber!

Algumas considerações finais

Amnesia: Rebirth revigorou, verdadeiramente, a famosa franquia da Frictional Games, e de forma estupenda. Mais: trata-se, sem sombra de dúvidas, de um dos melhores jogos de terror lançados nos últimos anos.

O título tem tudo para entrar, ao lado de Amnesia: The Dark Descent, no rol dos melhores jogos de terror já lançados. Tasi Trianon, por sua vez, é uma protagonista e tanto, e transmite extrema emoção ao jogador, em diversos momentos.

Temos aqui mais um belíssimo trabalho da desenvolvedora sueca. Um que não “brinca em serviço”, e proporciona momentos angustiantes, aterrorizantes, perturbadores e, além disso, oferece gráficos lindíssimos. Recomendadíssimo!

Ficha técnica

Título: Amnesia: Rebirth

Gênero: Terror

Desenvolvedora: Frictional Games

Publisher: Frictional Games

Data de lançamento: 20 de Outubro de 2020

Plataformas: PC, PlayStation 4

Versão analisada: PC

Pin It on Pinterest