Devido (mais uma vez) à enorme gentileza da Nuuvem, estou testando e jogando outro jogo fora de série. Trata-se de Conan Exiles, da Funcom, empresa escandinava, sediada em um país repleto de geleiras. Gelado, realmente, assim como era a Ciméria de Conan, o bárbaro.

Conan Exiles

Tive meu primeiro contato com as aventuras do Cimério ainda durante minha adolescência, quase que ao mesmo tempo em que o rock ‘n roll também me “abocanhava” com força total.

A paixão pela obra de Robert E. Howard, então, atingiu níveis verdadeiramente avassaladores, tanto é que quase completei minha coleção de “A Espada Selvagem de Conan” (ou simplesmente ESC).

Uma pena, entretanto, meu pai ter jogado fora, pouco antes de falecer, quase que a metade de tal coleção, devido a meu erro crasso ao tê-la deixado em sua casa mesmo após ter casado. Mas isto são águas passadas.

Conan Exiles

A perigosa Cidade sem Nome

Devo confessar logo de início que Conan Exiles é o primeiro jogo pertencente ao gênero survival que encaro com afinco. É, também, o primeiro “jogo do Conan” no qual tenho a oportunidade de colocar as mãos.

Sim, nem mesmo no malfadado Age of Conan coloquei minhas mãos. Aliás, este último título da desenvolvedora e publisher norueguesa foi um verdadeiro fiasco, chegando a causar inclusive a saída de Gaute Godager da empresa, o qual era na verdade um dos fundadores da empresa, além de produtor e diretor do MMO.

Conan Exiles

Jogando Conan Exiles

Este guia para principiantes, do Carlos Aquino, do Retina Desgastada, me ajudou bastante no início do jogo, principalmente. Conan Exiles não é um jogo fácil, aliás.

Gostaria também de agradecer publicamente ao Carlos pelas DMs trocadas no Twitter, durante as quais ele sanou uma série de dúvidas que eu tinha a respeito do título.

Bem, em Conan Exiles, o jogador é inserido em uma belíssima porém brutal Era Hiboriana. Infelizmente, entretanto, a única vez em que Conan aparece no jogo é no início do mesmo, quando ele nos livra da crucificação.

Conan Exiles

Obs: aliás, esta tal crucificação me lembrou bastante de uma história onde o próprio Conan é crucificado, chegando até a matar com os dentes um abutre que chegou para mordê-lo, enquanto preso à cruz em forma de X.

Conan Exiles

Bem, mas o que somos no jogo? Digamos que o personagem que criamos logo de início é um ninguém. Um pária. Um exilado, deixado para morrer em um deserto causticante. Claro, mais uma vez vale destacar a ótima aparição do Cimério, nos salvando da morte e proferindo algumas palavras.

À partir daí, começa nossa jornada em Conan Exiles. Infelizmente, também, não pude detectar no vasto mapa que temos à nossa disposição terras fatalmente encontradas nos gibis do Cimério. Encontramos, isto sim, criaturas abomináveis, construções misteriosas, paisagens belíssimas e terrores noturnos capazes de fazer com que nosso sangue congele em nossas veias.

Sim, aquela é uma terra brutal, e começamos o jogo sem nada. Sem armas. Sem armadura. Praticamente sem roupas (ou totalmente nus, dependendo do servidor), e com o risco de perecermos rapidamente de fome e de sede caso não encontremos rapidamente fontes de comida e água.

Conan Exiles

Felizmente o mapa de Conan Exiles é rico em riachos, rios e lagos, e eu consegui bem rapidamente fabricar um cantil para armazenar o precioso líquido. Além disso, é muito fácil nos alimentarmos de insetos: qualquer arbusto médio contém dezenas deles. Todos para o nosso “deleite”, além de riquíssimos em proteína.

No jogo de sobrevivência da Funcom, existem mecânicas bastante complexas de construção, e engana-se quem pensa que vai encontrar um tutorial. O máximo que encontramos são “objetivos” do tipo “venere tal deus”, “construa uma cama”, “fabrique uma peça de armadura leve”, e por aí vai.

Conan Exiles

Meu bárbaro agora devidamente paramentado

É importante ressaltar que quase tudo “renasce”, e isto inclui pedras, minério de ferro, crocodilos, inimigos humanos, aranhas e escorpiões gigantes, árvores, etc. Ou seja, dependendo do local onde você constrói sua primeira casa, há grandes chances de você obter material para crafting em abundância.

Isto é bom e ruim ao mesmo tempo, em minha opinião. Ruim pois torna fáceis demais, em alguns casos, os processos de fabricação dos mais diferentes itens, e bom, bem, porque teremos sempre “campos férteis” para nossas necessidades. Afinal de contas, a jornada é longa.

Conan Exiles

Minha humilde casa, construída com muito esforço

Vivendo e morrendo em Conan Exiles

Como já bem sabia o Cimério aventureiro, Crom é um Deus, digamos, que pouco se importa com seus “fiéis”. O Cimério bem sabia que o Deus de seu povo jamais iria ajudá-lo, e não foi uma nem duas vezes que eu, lendo “A Espada Selvagem de Conan”, me deparei com o bárbaro dizendo coisas tais como, por exemplo, “– Crom, se você não vai me ajudar, então vai pro inferno“.

Conan Exiles

É até engraçado que, no início de Conan Exiles, tenhamos de escolher uma deidade para nossa devoção, podendo optar entre Ymir, Set, e, obviamente, Crom, dentre outros.

E como não poderia deixar de ser, devo ser enfático ao dizer que a escolha por Crom não confere ao jogador nenhum tipo de especialização ou vantagem no jogo. Mesmo assim, optei pelo mesmo, certo de que, apesar da decisão da Funcom em oferecer muito pouco do bárbaro aos jogadores, eu deveria criar minha própria aventura, minha própria jornada, moldando meu destino com meus punhos, estratégia e aço, mas sempre com Conan em mente.

Conan Exiles

E Conan Exiles é assim mesmo: você constrói sua própria jornada, imerso em um mapa imenso e repleto de lugares assustadores e belos, além de criaturas horripilantes.

Morri. Morri e morri, inúmeras vezes, quando ainda não tinha armas, antes de fabricar minha primeira espada de ossos. Antes de aprender os conceitos básicos do jogo. Antes de aprender a arte da esquiva. Antes de aprender a “dosar” a estamina.

A Era Hiboriana desenvolvida pela Funcom é verdadeiramente brutal. Espere por pouquíssimos NPCs amigáveis. Me lembro até agora de quando me aproximei, quase que nu e desarmado, de um grupo de Zamorianos: todos armados e eu apenas “equipado” com meus punhos.

Conan Exiles

Estou ficando bom nisso…

Bem, eu esperava por uma recepção amigável, digamos (tolo que fui), e fui recebido na base do aço. Resultado: morri em pouquíssimos segundos. Em um outro episódio, tentei matar estranhas criaturas dotadas de uma carapaça: morri ao atacar um dos filhotes e receber golpes poderosos daquilo que acredito ser sua mãe.

Também fui atacado por Kushitas, e aqui não pude deixar de me lembrar de Bêlit, talvez a única mulher que Conan tenha amado em toda sua vida. Sim, Bêlit, a pirata, a Rainha da Costa Negra. Mas divago.

Conan Exiles

Uma caverna infestada de aranhas gigantes

Conan Exiles é brutal, e você tem de percorrer um longo caminho até que possa se sentir um pouco seguro. Agora, no nível 26 e possuidor de uma humilde casa com 2 andares equipada com curtume, forno, caixa para guardar tralhas e mesa para construção de armaduras, começo a perceber que talvez eu possa me afastar um pouco mais do local onde me encontro, rico em recursos.

Antes, porém, quero ir à caça de mais minério de ferro, para ser então capaz de construir a mesa do ferreiro e poder construir espadas de ferro e, quem sabe, aço.

Algumas considerações finais

O jogo conta com um complexo sistema de crafting, e não existem tutoriais. Mas você é livre. Até agora, determinado elemento de minha jornada, algo como uma “missão”, permanece em tela: construir uma armadura leve. Mas não o farei, uma vez que já construí uma armadura de nível médio e superior.

Conan Exiles

Conan Exiles passa uma sensação de desassossego enorme ao jogador. Constantemente. Fui pego desprevenido por uma terrível tempestade de areia, por exemplo, durante a noite, e só sobrevivi porque estava quase chegando em casa (sim, a permanência na tempestade de areia drena nossa energia vital).

Conan Exiles

Criando

Obter itens para construção, aliás, pode se tornar um processo um tanto quanto tedioso, e aqui vai mais uma vez meus agradecimentos ao Carlos, do Retina Desgastada. Foi ele quem me disse que eu podia obter “cascas de árvore” ao utilizar a picareta para derrubar as árvores ao invés da simples machadinha de pedra.

Tais cascas são necessárias durante o processo de fabricação de alguns tipos de enchimentos, necessários para a fabricação de armaduras, vale ressaltar.

Conan Exiles

Mas é sensacional como o jogo permite que criemos nossa própria aventura. Nossa própria jornada. Estou no nível 26 e com 16 horas de jogo. Sinto que a jornada mal começou, e isto é, pelo menos para mim, algo altamente digno de nota, uma vez que sempre me mantive afastado de jogos estilo survival.

Conan Exiles é grandioso, e espero que minha jornada o seja também. Mal posso esperar para explorar mais de seu enorme mapa.

Que Crom me ajude (ou não).

Banner - Nuuvem - Review

Pin It on Pinterest