Chernobylite é um jogo que eu estava aguardando com bastante ansiedade. Ambientado na Zona de Exclusão de Chernobyl, e tendo como pano de fundo um dos maiores desastres nucleares que a humanidade já viu, o jogo da The Farm 51 já se encontra disponível no Steam e no GOG, em Acesso Antecipado (Early Access).

O desastre nuclear de Chernobyl, que aconteceu no dia 26 de abril de 1986, é inserido no jogo, digamos, através do protagonista, Igor, o qual há 30 anos não tem notícias de sua noiva, Tatyana.

Chernobylite

Tatyana desapareceu em circunstâncias misteriosas, e vale ressaltar que Chernobylite é um jogo que lida também com elementos sobrenaturais, além de contar com elementos de sobrevivência e ação furtiva.

Chernobylite

Igor, em Chernobylite, deve atingir um local próximo ao reator número 4 (o reator que explodiu), junto com dois outros NPCs, Olivier e Anton. O protagonista é também um físico importante, ex-funcionário da Usina Nuclear de Chernobyl, e chegou a desenvolver até mesmo um equipamento capaz de criar uma espécie de “whormhole”, o qual pode então teletransportá-lo de um ponto a outro do mapa.

Vale ressaltar que durante o desenvolvimento de Chernobylite, o pessoal da The Farm 51 fez algumas viagens até a Zona de Exclusão e tirou toneladas de fotos, além de ter escaneado diversos locais em 3D, com a ajuda de drones.

Chernobylite

O título passa ao jogador uma atmosfera bastante tensa, principalmente porque não estamos sozinhos no local. Existem soldados de um grupo conhecido como NAR, e também existem outros personagens, civis.

Há em Chernobylite, também, um sistema de diálogos bastante interessante (vale lembrar que, para maior imersão, todo o áudio encontra-se em russo), através do qual podemos ser rudes ou educados, e também podemos optar entre confiar ou não em determinados personagens. Tudo isto, é importante frisar, levará a várias consequências futuras, tudo com base em nossas escolhas.

O jogo, para a alegria de todos aqueles que, como eu, adoram capturar screenshots, conta com suporte a NVIDIA Ansel: você poderá, por exemplo, capturar fantásticas fotografias em 360º, por exemplo, e até mesmo compartilhá-las no Facebook.

Chernobylite

Fazendo uso da Unreal Engine 4, Chernobylite é um game que, mesmo em Acesso Antecipado, conta com lindos gráficos e efeitos de pós-processamento. Ele também conta com mudanças climáticas importantes: você pode ser surpreendido por chuvas torrenciais e se deliciar com o som e com a visão das gotas d’água caindo em poças enlameadas no solo, por exemplo.

Chernobylite

A floresta em torno da usina é também muito bonita, e vale lembrar que não faltam momentos assustadores no jogo. O próprio jogador, aliás, fica em dúvida, em diversos momentos, se o protagonista sofre de algum tipo de doença mental ou se o que ele está ouvindo e vendo é algo sobrenatural.

Estou falando da voz de Tatyana, a qual soa na mente de Igor com bastante frequência, muitas vezes alertando-o de coisas que estão por vir ou então de alguns detalhes nos arredores.

Vale lembrar mais uma vez que Igor desenvolveu um dispositivo capaz de criar “buracos de minhoca”, portanto, é óbvio que muito ainda está por vir, tanto no tocante ao “elemento Tatyana” quanto no que diz respeito a outros acontecimentos e personagens.

Chernobylite

Mas Igor está ali, em Chernobyl, com um único objetivo em mente, apesar de outros personagens tirarem-no de sua busca com alguma frequência: Tatyana. Ele quer encontrá-la, à qualquer custo, ou pelo menos descobrir o que aconteceu com ela, 30 anos atrás.

Há também no jogo uma espécie de “caçada” em busca do mineral estranho que se desenvolveu na área, chamado Chernobylite. Além disso, você sempre terá mais de uma opção quando encontrar inimigos armados à sua frente: é possível enfrentá-los “na bala” ou então matá-los furtivamente.

Chernobylite

Há também a opção de desconsiderá-los, vale lembrar. Ou seja, você pode caminhar agachado entre o mato e entre objetos espalhados pelos cenários, pode dar a volta e optar por um outro caminho, etc. O mapa do jogo é até que grande, embora alguns bugs ainda nos impeçam de conferi-lo na íntegra.

Eu mesmo encontrei um bug bastante chato, o qual me fazia “cair” em uma área “vazia”, “eternamente”. Além disso, o próprio jogo avisa que, mesmo em computadores mais parrudos, é desaconselhável utilizar a opção “Ultra” no que diz respeito aos gráficos, pois isto pode causar diversos problemas de desempenho.

Existem também problemas relacionados às vozes dos NPCs, as quais algumas vezes soam baixas demais e em alguns momentos chegam a desaparecer por completo: tudo isto enquanto visualizamos as legendas em inglês na tela.

Chernobylite

Existem também problemas relacionados aos checkpoints: por 2 ou 3 vezes o jogo “me lançou” lá atrás, em um ponto anterior ao último save, e eu tive de percorrer, novamente, áreas pelas quais já havia passado (tendo inclusive visualizado o respectivo ícone relativo ao save em tela). Um ou outro “crash” também aconteceu, vale ressaltar.

Mas, temos de nos lembrar que estamos falando a respeito de um título recém lançado em Early Access, portanto, é natural que tal tipo de coisa aconteça, e é também devido a isto que os desenvolvedores estão vendendo o jogo por um preço menor (R$ 66,00).

A equipe de desenvolvimento também espera que os jogadores reportem bugs e problemas os mais diversos que forem encontrando em Chernobylite, valendo a pena lembrar que o jogo permanecerá em Acesso Antecipado durante um período de 10 a 14 meses.

Chernobylite

De qualquer forma, Chernobylite já se mostra um grande jogo, com uma ótima trilha sonora e uma excelente sonoplastia, além de ótimos gráficos e um enredo intrigante ao extremo.

Igor, o protagonista, tem constates flashes do acidente nuclear. Ele vê com certa frequência engenheiros e outros trabalhadores do local, e tais momentos contribuem bastante para criar uma atmosfera ainda mais aterrorizante no jogo, pois não sabemos ao certo de onde vêm tais “visões”.

Chernobylite

É importante destacar também que o confronto direto, contra soldados, por exemplo, nunca é a melhor escolha: Igor é frágil, não possui nenhum tipo de colete à prova de balas, por exemplo, e morre facilmente conforme leva alguns tiros.

Além disso (e creio que isto ainda deva sofrer algum tipo de balanceamento por parte dos desenvolvedores), os inimigos demoram para morrer, mesmo levando vários tiros na cabeça.

Isto sem falar na escassez de munição e recursos, o que pode representar um problema e tanto para o protagonista de Chernobylite. Ah, e vale lembrar que não faltam perambulações por uma espécie de “dimensão alternativa”, tão logo Igor utiliza o aparelho por ele desenvolvido.

Chernobylite

O jogo também conta com um sistema de crafting, e podemos construir nossa própria base, à partir da qual somos inclusive capazes de enviar nosso companion em uma outra missão. Chernobylite também exige bastante exploração, o que pode também render bons frutos para os viciados em looting, como eu.

Enfim, temos aqui um jogo bastante promissor. Um título interessantíssimo e bastante curioso, ambientado em um local cercado de mistérios. Se você aprecia tudo isto, pode adquirir sem medo, valendo a pena mais uma vez lembrar, porém, dos problemas acima mencionados. Mas, ressalto: o jogo encontra-se em Acesso Antecipado.

Pin It on Pinterest