A franquia Rock of Ages, do estúdio chileno ACE Team, sempre primou por altas doses de humor. Foi assim com o primeiro título, lançado em 2011, e é assim com o mais recente rebento da empresa, Rock of Ages 3: Make & Break (página no Steam).

Obs: quer dizer, o título ainda não foi lançado – confira mais detalhes abaixo.

Na verdade, mesmo, a ACE Team parece possuir uma certa predileção por mundos e situações hilários ao extremo, além de bastante surrealidade, como em Zeno Clash, por exemplo.

Rock of Ages 3: Make & Break

Mas vamos por partes. Rock of Ages 3: Make & Break está sendo desenvolvido pela ACE Team em parceria com o estúdio Giant Monkey Robot. O jogo será lançado em 02 de Junho de 2020, para PC, PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e Google Stadia.

Trata-se de uma bela mistura entre tower defense, tower offense, estratégia e muito, muito humor. O novo título, além disso, conta com um editor de níveis bastante completo e fácil de usar, além das já conhecidas referências e personagens históricos e/ou mitológicos.

Rock of Ages 3: Make & Break

Sobre Rock of Ages 3: Make & Break

O novo jogo conta com bastante humor, como já dito acima. Além disso, temos logo de início a presença de personagens pertencentes à mitologia grega, como por exemplo Ulisses e o ciclope Polifemo.

Rock of Ages 3: Make & Break

Napoleão Bonaparte também marca presença de forma extremamente engraçada, fazendo piadinhas inclusive com a tentativa de conquistar a Rússia, em 1812 (isto sem falar em constantes menções à sua suposta baixa estatura).

É através de ambos, Ulisses e Polifemo, que a história de Rock of Ages 3: Make & Break começa a ser contada: sem legendas, sem palavras, sem nada semelhante: apenas com imagens e cutscenes, as quais são muito mais do que suficientes, dada a natureza e o estilo do jogo.

Na verdade, Rock of Ages 3 nem precisa de uma história, pois o foco, mesmo, está no elemento tower defense (sem falar na defesa de objetivos importantes e na estratégia, obviamente).

Rock of Ages 3: Make & Break

Na verdade, temos aí, após algumas cutscenes extremamente hilárias, o início do tutorial do jogo, o qual inclusive é bastante desafiador – creio até que a ACE Team ainda precise balancear direitinho as coisas, aqui. Achei o tutorial um tanto quanto intimidador, digamos.

Loucura, maluquice, personagens e situações engraçados ao extremo: estes são alguns dos elementos que fazem do game algo verdadeiramente único. A própria franquia, como um todo, é maluca. Demais. E isto é muito bom!

A história do título começa na antiguidade, porém chega até tempos mais modernos, de maneiras bastante doidas. O jogo, além disso, conta com desenhos e espécies de “colagens” sobrepostas, as quais passam um ar de estranheza e ao mesmo tempo surrealidade ao conjunto como um todo.

Rock of Ages 3: Make & Break

Jogando (Break)

Basicamente, temos aqui uma mistura de tower defense com tower offense, com leves pitadas de estratégia. Temos “turnos”: temos que controlar nossa rocha (mas existem mais de 20 objetos roláveis, incluindo abóboras, queijos, etc) e destruir os portões do castelo inimigo.

Tudo isto enquanto nos desviamos de obstáculos e armadilhas, incluindo várias explosivas. Isto sem falar nos terrenos, que podem ser, digamos, um tanto quanto “espinhosos”, nos obrigando a frear e controlar a velocidade de nossa rocha, com todo o cuidado do mundo.

Vale também lembrar que cada rocha, ou melhor, cada objeto passível de ser rolado/controlado, conta com seus respectivos valores de força, aceleração, dano, peso e velocidade – elementos que impactarão, certamente, no gameplay.

Em partidas normais, devemos rolar nossa rocha e desviar de obstáculos os mais diversos pelo caminho, a fim de chegar aos portões do castelo inimigo e aí abrir caminho.

Por outro lado, e em outros momentos, também devemos defender nosso castelo, através da fase de planejamento, construindo defesas como torres, balistas, elefantes de guerra, catapultas, barris explosivos, etc: tudo para dificultar a vida do inimigo.

Ah, sim, também utilizamos, em determinado momento, uma “rocha” formada por ovelhas, e podemos também “plantar”, como instrumento de defesa, nada mais nada menos do que “vacas pegajosas”.

Rock of Ages 3: Make & Break

Brincando com o editor de níveis

Editor de fases de Rock of Ages 3: Make & Break

É importante destacar que já existe uma enorme variedade de níveis criados. São dezenas, na verdade, cada um com seu respectivo grau de dificuldade.

O jogador também pode criar seus próprios níveis, e o editor é bastante intuitivo. Todas as ferramentas são fáceis de utilizar, e Rock of Ages 3: Make & Break cria automaticamente os pontos de “largada” e de “chegada”.

O jogador/criador deve, então, criar sua “pista”, à partir daí, ligando os pontos porém com total liberdade para realizar desvios, elevações, declives, extensões, etc.

Rock of Ages 3: Make & Break

É possível criar níveis bastante grandes e intrincados, e além disso, podemos posicionar nos mesmos diversos elementos visando dificultar a vida do posterior jogador. Obstáculos, digamos, para que chegar até os portões do castelo não seja uma tarefa fácil.

Criado um nível, o jogador precisa testá-lo e provar que ele pode realmente ser concluído com sucesso, de maneira similar ao que acontece em Trials Rising. Feito isto, o upload do nível é então realizado, e jogadores do mundo todo podem jogá-lo, testá-lo, etc.

Modos de jogo

Existem diversos modos de jogo em Rock of Ages 3, além da campanha solo. Existe o modo multiplayer para até 4 jogadores, online, ou offline, para até 2 jogadores, em tela dividida.

Rock of Ages 3: Make & Break

Também temos o novo modo “Boulder Avalanche”, no qual o jogador deve defender sua base com unhas e dentes, e temos o modo “Time Trial”, cujo nome já diz tudo.

Temos também um modo de jogo que “força” os jogadores a atravessarem um percurso cheio de obstáculos, vale ressaltar.

Algumas considerações finais

Confesso que gostei bastante daquilo que vi em Rock of Ages 3: Make & Break. A ACE Team e a Giant Monkey Robot estão no caminho certo.

Achei o jogo bonito, porém, confesso que esperava mais, principalmente se levarmos em consideração que lá se vão quase 9 anos desde o primeiro jogo da franquia.

Rock of Ages 3: Make & Break

Temos, por exemplo, os mesmos “backgrounds celestes”, com figuras angelicais, em alguns cenários, o que para muita gente, que acompanha a série há tempos, pode soar um tanto quanto repetitivo.

De qualquer forma, acredito que ambas as desenvolvedoras ainda modificarão alguns aspectos do game, até seu lançamento, em Junho, e mesmo com os “poréns” que mencionei acima, Rock of Ages 3: Make & Break é uma obra e tanto.

Confesso que gostei bastante da trilha sonora, também. A mescla entre música clássica e guitarras, por exemplo, é soberba. Adorei, realmente.

Rock of Ages 3: Make & Break

Se você gosta de jogos estilo tower defense, fique de olho. E se é fã da franquia, aguarde, pois dia 02 de Junho não tardará.

Enquanto isso, fique com um sensacional vídeo de gameplay do título:

Pin It on Pinterest