O ano era 1996. Eu, em meus 21 anos de idade, conheci então um jogo chamado WipeOut. Um título de corrida futurista que também contava com a possibilidade de combates nas pistas, combates estes extremamente acirrados, digamos.

O jogo, lançado para as plataformas da época, inclusive para meu saudoso PlayStation, foi um estrondoso sucesso, me deixou em polvorosa, e até hoje faz com que fãs saudosos vasculhem lojas online de games (como o Steam, por exemplo) em busca de “sucessores espirituais” ou de títulos semelhantes.

PACER

Existem alguns, obviamente, mas de todos os que já joguei ou testei, posso dizer que PACER, da R8 Games, é o mais promissor. Aliás, dê uma olhada em seu site oficial: ali existe muito material bacana, incluindo screenshots.

Obs: aliás, vale destacar que, neste preview, não estou utilizando screenshots capturadas por mim mesmo. Estou utilizando imagens do site do jogo, pois é quase impossível alternar entre o controle do Xbox 360 e o F12 no teclado (joguei no PC), para capturar as imagens, tão dinâmico, rápido e frenético é o jogo.

PACER

PACER, que já foi conhecido também como Formula Fusion, será lançado para PC, PlayStation 4 e Xbox One em 17 de Setembro de 2020. Trata-se de um jogo obrigatório na coleção de todo fã saudoso da franquia WipeOut, iniciada pela Psygnosis.

Sobre PACER

Bem, vamos lá. PACER é um jogo no qual as naves, ou melhor dizendo, os veículos antigravidade, atingem velocidades que, em determinados momentos, ultrapassam os 600 quilômetros por hora.

Isto é bastante perceptível, por exemplo, durante as subidas e descidas extremamente íngremes existentes em algumas pistas, as quais nos fazem lembrar de verdadeiras e estupendas montanhas-russas.

O jogo da R8 Games é extremamente rápido, e a adrenalina aumenta à medida que sua fantástica trilha sonora se faz ouvir, com faixas de artistas como DUB FX, CoLD SToRAGE, e outros.

Aliás, a música audível enquanto navegamos por seus menus faz com que nosso coração pulse mais aceleradamente, de tão bonita. Ela, de certa forma, “entrega” ao jogador um pouco do que está por vir. Um pouco das altas doses de adrenalina que serão injetadas em nossas veias, das altíssimas velocidades. Dos combates acirrados.

Pacer

PACER é divertidíssimo, além disso, e no build que testei, obtive acesso a cinco pistas (o jogo completo contará com 14, no total). Entretanto, pude testar cada uma das cinco naves do jogo: Sabre, Python, Dragon, Voxel e Vixen. Cada uma delas conta com certas especificidades no tocante a aceleração, velocidade máxima, manobrabilidade, defesa, etc.

Isto sem falar que em PACER ganhamos créditos conforme completamos cada corrida, independentemente da posição em que chegamos à reta final. Claro, melhores posições renderão sempre mais créditos.

Correndo alucinadamente em PACER

Porém, tais créditos servem, dentre outras coisas, para que sejam desbloqueados, ou destravados, diversos modificadores relacionados às pistas. É assim, portanto, que cada pista pode ser jogada de dia ou de noite.

É assim, também, que podemos jogar uma mesma pista no modo normal ou em modo espelhado, e também é assim que podemos escolher se desejamos correr em uma pista no modo normal ou no modo reverso (ré).

Fica fácil perceber, portanto, que quando o jogo for lançado, com suas 14 pistas no total, teremos um leque incrível de variações e modificações, o que aumentará ainda mais a diversão proporcionada pelo mesmo.

Pacer

Obs: PACER conta com suporte à tecnologia Razer Chroma. É muito bacana observar as variações de cores no teclado. Por exemplo, quando os escudos da nave estão quase se esvaindo, o teclado pisca em um “vermelho perigoso”, alertando o jogador.

No build que testei, pude correr nas seguintes pistas:

  • Satawald: uma linda pista em meio à floresta, com um grande salto sobre um cruzamento, literalmente de tirar o fôlego;
  • UMA V: pista localizada na costa da África do Sul, com longas retas e uma inclinação vertical, sinceramente, assustadora e impressionante;
  • Sonashahar: aqui corremos na Índia, em uma bela pista repleta de elementos ligados à cultura do país em questão, além de várias subidas e descidas;
  • Aguila: em meio aos montes peruanos, Aquila oferece belíssimas vistas e diversos pulos, além de túneis bastante estreitos, que dificultam bastante a nossa vida;

Garagem / Oficina

Na Garagem / Oficina do jogo, podemos personalizar nossos veículos antigravidade de maneira tal a adaptá-los ao nosso estilo de pilotagem e também a obter o melhor resultado possível durante cada corrida. Isto sem falar nos detalhes cosméticos, é claro.

Na Oficina, pelo menos no build que tenho agora em mãos, existem 4 loadouts pré-definidos, cada um deles focando em um quesito em específico, como por exemplo drifts, defesa, agilidade e alta velocidade.

Também podemos, obviamente, criar nossos próprios loadouts, e aí sim  modificarmos detalhes de cada veículo antigravidade conforme nosso bel-prazer. Motores, manuseio, frenagem, detalhes ligados ao sistema antigravidade, etc.

Pacer - Game

É claro que este quesito é bastante amplo, e deixarei para entrar em maiores detalhes a respeito dele no meu review de PACER. Vale lembrar, porém, que todas as naves são bastante customizáveis. Ah, sim, podemos também lidar com o armamento, obviamente.

Modos de jogo

PACER conta com o modo “Quick Play”, o qual coloca o jogador rapidamente em uma corrida, mas também permite que sejam determinados alguns parâmetros. Ou, melhor dizendo, o jogo permite que o jogador escolha um dentre vários modos de jogo diferentes, incluindo o multiplayer online.

Você pode, por exemplo, correr contra o relógio, ou seja, competir tendo em vista os melhores tempos, e também pode optar pelo modo “Volta de Velocidade”, no qual ganha a corrida o veículo com a volta mais rápida, dentro de um número específico de voltas.

PACER

Além disso, é possível optar pelo modo “Destruição”, onde “vale tudo”, e ganha quem chegar à pontuação máxima, ou então pelo modo “Eliminação”, no qual o último colocado será automaticamente eliminado da corrida quando um contador chegar ao final.

Ainda temos o modo “Resistência” e um modo muito bacana chamado “Flowmentum”: aqui, ganha o competidor que chegar o mais longe possível, valendo a pena lembrar, entretanto, que a velocidade aumenta a cada portal ultrapassado!

Algumas considerações finais

Com tudo isto em mente, tenho plena convicção de que, finalmente, temos aqui o “Filho do F-Zero e WipeOut”. PACER é tudo aquilo que os fãs de WipeOut poderiam esperar, e muito mais.

Isto sem falar em seus belíssimos gráficos, além da excelente trilha sonora. Fique de olho: o jogo será lançado, só lembrando mais uma vez, no próximo dia 17 de Setembro, para PC e consoles.

Fique agora com o trailer mais recente do game:

 

Pin It on Pinterest