Immortal Realms: Vampire Wars é um jogo que mistura vampiros, estratégia em turnos, card-game e gerenciamento de impérios. O jogo encontra-se atualmente em fase beta, e será lançado em 28 de Agosto de 2020, para PC, PS4, Xbox One e Nintendo Switch.

Vale lembrar que o jogo já pode ser adquirido, para PC, através da Kalypso Store, ou então para o console da Microsoft, através do Xbox Game Preview.

Quem adquirir o jogo através da Kalypso Store, aliás, leva de brinde a sensacional e soturna trilha sonora do mesmo. Posso garantir que a trilha sonora é um dos pontos altos deste título.

Immortal Realms: Vampire Wars

Immortal Realms: Vampire Wars é um jogo sombrio. Um jogo difícil, também, no qual temos de prestar bastante atenção nos movimentos e nos próximos passos de nossas unidades: um passo em falso e todo o trabalho anterior pode ser posto a perder.

Sobre Immortal Realms: Vampire Wars

O game da desenvolvedora sueca Palindrome Interactive é um verdadeiro must have para todos os jogadores que apreciam estratégia em turnos e temáticas vampirescas.

Immortal Realms: Vampire Wars

Isto sem falar no elemento “card-game”, obviamente, através do qual podemos utilizar um interessante, bonito e extremamente útil baralho durante nossas jogadas.

Immortal Realms: Vampire Wars

O jogo mistura de forma magistral, mesmo ainda em fase beta, diversas e interessantes mecânicas. E o mais incrível de tudo é que o jogador não se perde em meio à todas elas: claro, vale lembrar mais uma vez que trata-se de um jogo bastante desafiador.

Nele, é possível que o jogador gerencie seu próprio exército, o qual pode ser composto tanto por vampiros quanto por lacaios humanos.

O jogo conta com um completo tutorial, porém infelizmente não possui localização em português do Brasil (lembrando que ele está disponível em diversos outros idiomas, incluindo até mesmo chinês, japonês e russo).

Temos aqui uma verdadeira pérola. Um verdadeiro achado dentre tantos outros jogos pertencentes ao mesmo “gênero”, se é que podemos enquadrar Immortal Realms: Vampire Wars em um único deles.

Muito daquilo que você encontrará ao jogar este título, o qual será publicado pela Kalypso Media, aliás, já é conhecido pelos amantes do gênero de estratégia em turnos.

Immortal Realms: Vampire Wars

Movimentação e rotação da câmera, estilo de movimentação das unidades, ataques, uso de poderes especiais por parte de unidades específicas, magia e, é claro, o sensacional baralho.

História

A história aqui pode ser até que bem manjada, mas é extremamente interessante e obscura, como em quase qualquer mídia que envolva o elemento “vampiro”.

Temos em Immortal Realms: Vampire Wars uma guerra entre diversos clãs de vampiros. Clãs como, por exemplo, os Dracul, os Nosfernus e os Moroia.

Cada um desses clãs, aliás, possui sua própria história, seu próprio background, o que ajuda a dar um ar bastante interessante e misterioso à narrativa, além de motivos, digamos, para que as guerras tenham início.

Immortal Realms: Vampire Wars

Temos aqui um game complexo. Portanto, recomendo que você siga a sugestão do próprio jogo e “jogue” o longo tutorial, em sua integridade. Isto para poder aproveitar melhor o que vem depois.

Bem, no jogo, estamos nas terras de Warmont, no reino de Bloodthrone (o próprio nome já fornece uma boa sugestão a respeito da temática do game, não é?). Humanos vivem sob o jugo dos vampiros há anos, e muitos fazem parte dos exércitos dos sanguessugas.

Uma primeira missão coloca o jogador no comando de Cecilia Dracul, vampira e esposa do Lorde vampiro Vlad Dracul. As inspirações vampirescas aqui são notórias, e Drácula, de Bram Stoker, não me sai da cabeça.

Bem, Cecilia acaba tendo de lidar com uma revolta de humanos, algo que não acontecia há bastante tempo. Em Immortal Realms: Vampire Wars, podemos, obviamente, gerenciar nossos próprios exércitos, conquistar territórios e construções, etc.

Também podemos criar novas unidades, ao longo da campanha, bem como lidar com novas revoltas, tão logo delas tomamos conhecimento.

Estas são as premissas para um jogo de estratégia em turnos, em seu cerne, que não deixa nada a desejar em relação a muitos gigantes do gênero. Claro, é interessante observar mais uma vez que por enquanto o título encontra-se em fase beta.

Immortal Realms: Vampire Wars

Jogando Immortal Realms: Vampire Wars

Em Immortal Realms: Vampire Wars, o sangue é de suma importância, obviamente. Além disso, ter sempre um Lord em nossos exércitos ajuda bastante.

Aliás, apenas com a presença de um Lord podemos reclamar novos territórios e construções. Voltando ao sangue, ele é nosso “combustível”, no jogo. É através do sangue que recrutamos novas unidades.

É através do sangue que construímos novos edifícios, e é também através dele que jogamos as cartas. E nossa maior fonte de sangue, no game, são cidades e vilarejos, repletos de seres humanos prontos para serem mordidos.

Movimentos de nossos Lords e de nosso exército consomem pontos de ação, de maneira um tanto quanto similar ao que acontece em Gears Tactics, por exemplo. Ataques também os consomem, vale ressaltar.

Até mesmo para reclamar vilarejos e cidades, por exemplo, é preciso que tenhamos pontos de ação disponíveis. Em caso contrário, teremos de aguardar pelo próximo turno (podemos encerrar o atual à qualquer momento, também).

Os vampiros devem controlar cidades e vilarejos. Devem mantê-los sob seu domínio, de forma tal a contarem com um constante fluxo de sangue. Sempre fluindo. Sempre “apetitoso”.

Immortal Realms: Vampire Wars

As cartas do baralho

Um dos grandes diferenciais de Immortal Realms: Vampire Wars está diretamente ligado à presença do elemento “card-game”. As cartas do baralho podem e devem ser utilizadas durante cada embate.

Na verdade, trata-se de cartas de ação, as quais conferem vantagens ao Lord da vez e também ao exército como um todo. Através delas, podemos alterar muitas vezes de maneira drástica o curso dos acontecimentos.

Ganhamos novos cards após alguns ciclos, mas também podemos comprar alguns outros, caso tenhamos os requisitos necessários para tal.

Os cards de Immortal Realms: Vampire Wars são capazes de drenar sangue de inimigos, assim como são capazes de aumentar o nível de sangue de nossas unidades e de nosso Senhor (ou Senhora).

Eles também são capazes de gerar novos equipamentos, bem como podem recrutar novas unidades. Tudo isto durante os combates, veja bem!

Os cards podem se transformar, algumas vezes, em verdadeiros salva-vidas, e darem cabo de diversos inimigos ao mesmo tempo, isto enquanto estávamos, por exemplo, prestes a sucumbir.

Immortal Realms: Vampire Wars

Claro: utilizamos os cards apenas durante o nosso turno, e é importante destacar também que para utilizá-los, gastamos pontos de ação. Portanto, todo cuidado é pouco.

Algumas considerações finais

Immortal Realms: Vampire Wars, mesmo em sua fase beta, é um belíssimo título. Um jogo “dark”, com gráficos muito bacanas e uma trilha sonora espetacular e sombria.

Aliás, quase ia me esquecendo: já na fase beta o jogador obtém acesso ao modo Skirmish e também ao mundo aberto (Sandbox) do jogo. Isto sem falar no modo campanha, obviamente.

Temos aqui um exemplo de jogo de estratégia que mescla diversas e interessantes mecânicas, sendo que todas elas funcionam muito bem no conjunto. Nada se sobrepõe a nada, e o gameplay transcorre “redondo”.

Se você gosta de estratégia em turnos, de RPGs táticos, de card-games e de jogos com vampiros, confie em mim: este é um belíssimo exemplar. Só tome cuidado com o elevado nível de dificuldade.

Pin It on Pinterest