Todos estamos passando pelo mesmo problema. O Coronavírus devora vidas e sonhos. Acaba com anseios e expectativas. Destrói muito mais do que aquilo que podemos quantificar. Mensurar.

A Covid-19, bem como tudo aquilo de ruim que ela trouxe consigo, tem me deixado desesperado. Angustiado. Ansioso em tal ponto que nem mesmo os remédios fazem efeito.

Sinto-me preso, em meio a este isolamento todo; eu, que sempre gostei de ficar em casa, com minha esposa, apreciando uma boa série na Netflix ou jogando algum jogo eletrônico.

Como se não bastasse tudo isto, ainda temos este (des)governo imbecil. Temos este acéfalo eleito por idiotas, cujas sandices ultrapassam, em minha opinião, o limite daquilo em que somos capazes de acreditar (pelo menos comigo, é assim).

COVID-19

Como se não bastasse tudo isto, também, aliado ao Coronavírus, ao isolamento social à nós (muito bem) imposto, e à todos os problemas oriundos da pandemia, ainda temos de conviver com uma grave crise política.

Tudo isto está me deixando com os nervos à flor da pele, e eu confesso que uma das poucas coisas que têm contribuído para aliviar minha enorme tensão é escrever, aqui no XboxPlus, principalmente.

Tenho jogado como nunca, como você pode conferir através da relação de reviews, previews, “A Fila Anda” e “Artigos“.

Tenho me dedicado bastante ao XboxPlus; aos reviews, principalmente, pois creio que este é um blog, digamos, de nicho. Não cubro notícias com frequência, ou, pelo menos, quando o faço, procuro me dedicar mais àqueles títulos que geralmente ficam de fora dos holofotes.

Digamos que o XboxPlus seja um reflexo de minha vida enquanto jogador de videogames. Uma forma que encontrei para me expressar enquanto “gamer”.

Bem, home office não era nada estranho para mim. Muito pelo contrário. E agora que ambos (eu e minha esposa) permanecemos em casa quase que o tempo todo, as coisas pouco mudaram, neste sentido.

Minhas dúvidas, meus questionamentos, porém, estão mais ligados ao futuro. Ao futuro de nosso país, governado por gente ligada a milícias e a outras podridões. Tenho medo.

Medo de ver cada vez mais militares ocupando cargos importantes. Medo de perceber que o Coronavírus se espalha cada vez mais em nosso país, e pouco, ou quase nada, é feito para interromper sua expansão, em tempos em que temos um presidente que se acha “o dono do pedaço”.

Ninguém faz nada em relação a este monstro, e pouco é dito sobre as milhares de vítimas que a Covid-19 já fez no Brasil. Medo, isto é o que sinto, além de angústia, pesar e ansiedade. Muita ansiedade.

Ela aumenta exponencialmente, à medida em que percebo novos recordes sendo batidos, dia após dia, em relação ao número de mortos.

Fear

À medida em que percebo que o país caminha para tempos bastante negros, enquanto aqueles que poderiam fazer alguma coisa, nada fazem.

Pois é também devido a este fato que continuo imergindo em jogos eletrônicos, indies ou não, a fim de tentar me livrar de pensamentos ruins, de toda esta ansiedade que se fez perene em minha vida.

Foi justamente devido a isto, também, que resolvi assinar o Xbox Game Pass para PC (um verdadeiro achado – Sea of Thieves acabou de ser baixado em minha máquina).

E vou levando a vida. Com medo. Ansioso. Temeroso. Angustiado. Jogando até mesmo jogos de terror, como por exemplo  Someday You’ll Return, além do espetacular Gear Tactics.

Mas continuo com medo. Medo de viver. Medo de morrer. Medo de me transformar em mais um mero número (o mesmo se aplica à minha esposa – este medo).

E o Coronavírus continua por aí. À solta. E todos sabemos que ele vai continuar, por muito tempo, ainda. Triste. Assim me sinto, grande parte do tempo.

Pin It on Pinterest