Pandemia. Desgoverno. Crise econômica. Mais de 37 mil mortos “apenas” devido à Covid-19. Informações maquiadas. Um louco no poder. Vergonha diante do mundo todo. Racismo terrível e mortes relacionadas.

Será que esqueci alguma coisa? Será que vivemos em alguma Matrix maluca cujos programadores ensandecidos resolveram brincar conosco? Ou tudo não passa mesmo da triste e cruel realidade?

O fato é que me sinto angustiado frente a tantas mortes, frente a tantas demonstrações de intolerância, frente a tantos arroubos de determinadas “criaturas” que deveriam apenas existir em nossa imaginação, ou quiçá em algum jogo eletrônico (dos piores).

Sinto-me preso dentro de casa, em meio a esta pandemia devido à qual fomos colocados em isolamento social (para nossa própria segurança e das outras pessoas, sei bem disto). Porém, a carga é enorme.

Vírus

É difícil passar incólume por tudo isto. É difícil passar incólume, sem chegar ao final de cada dia pensando: “puxa, até quando?”. Até quando veremos o fantasma do fascismo batendo em nossas portas?

Até quando veremos o terrível e execrável racismo fazendo vítima atrás de vítima? Quantos George Floyd serão mais necessários para que um mínimo de respeito e humanidade seja inserido nas mentes daqueles que insistem em negar o fato de que somos todos iguais? Até quando?

Até quando a quantidade de melanina na pele será fator determinante para que seres humanos sejam (pré)julgados negativamente? Para que sejam torturados? Para que sejam mortos de forma brutal? Até quando?

Protestos

Olhando para o mundo ao meu redor, não consigo encontrar resposta para tais perguntas, e as respostas que tenho dentro de mim muitas vezes não encontram alinhamento frente a muito daquilo que vejo, sinto e experimento.

Luz

Felizmente, existem iniciativas, pessoas e organizações que me fazem ter um pouco de esperança. Que me fazem enxergar uma certa luz no fim do túnel, se é que chegaremos ao final de tal túnel, entretanto (sim, sou pessimista por natureza).

Luz

Aqui mesmo em minha cidade, o prefeito parece dar mostras de que é bastante sensato, mantendo grande parte dos estabelecimentos fechados e realizando lives quase que diárias, durante as quais expõe seus planos (também sensatos) no tocante à possível retomada e à pandemia em geral.

Jogos eletrônicos

Como este é um site sobre games, é impossível escrever algo por aqui sem tocar neste assunto: jogos eletrônicos. Posso dizer que escrever tem sido, para mim, uma das melhores terapias, desde o início da pandemia devido ao Coronavírus.

Lá se foram cerca de 3 meses, e durante este período, acho que devo ter “batido algum recorde” interno do XboxPlus, pois desde o início da quarentena no estado de São Paulo, em 24 de Março de 2020, publiquei 28 reviews e 17 previews.

Jogos eletrônicos

Ou seja, temos aqui um total de 45 textos. Mais ou menos 15 textos por mês, ou cerca de 3-4 por semana. É muita coisa, valendo lembrar que durante 2019 inteiro, analisei 63 jogos eletrônicos!

Obs: Isto sem contar com artigos diversos e com a categoria “A Fila Anda“.

Sinceramente, não consigo encontrar explicação para tal fato, sendo que ainda mantenho um outro website. Quer dizer, consigo encontrar várias explicações.

Com a quarentena, tenho encontrado mais motivos para escrever. Tenho encontrado mais tempo disponível. Tenho, também, solicitado mais jogos, isto quando não os recebo sem solicitar.

Uma lembrança

Aliás, se você ainda não fez sua doação, não deixe de o fazer. A plataforma itch.io está promovendo o “Bundle for Racial Justice and Equality“.

itch-io-bundle-Bundle for Racial Justice and Equality

Você paga cerca de 25 Reais (5 Dólares) e ganha mais de 700 indie games. Mas a melhor parte não é essa: o melhor de tudo é fazermos a nossa parte.

Ajudarmos ao próximo. Darmos nossa pequena contribuição e colaborarmos com aqueles que estão na linha de frente, lutando contra males que, quem sabe, um dia, serão extirpados deste mundo.

Que venha a luz.

Pin It on Pinterest