Tive o enorme prazer de participar do closed beta do jogo Lonely Mountains: Downhill, do estúdio alemão Megagon Industries (thank you very much, Mr. Andreas Göransson – Thunderful Publishing), o qual aconteceu entre os dias 08 a 11 de Agosto, e eis aqui minhas primeiras impressões a respeito do título.

Obs: vale sempre lembrar que trata-se de um game ainda em desenvolvimento.

Lonely Mountains: Downhill

Lonely Mountains: Downhill (página no  Steam), é um jogo bonito demais. Seus gráficos são em low poly, e tudo é bastante charmoso, “clean”, lindo mesmo.

No título do estúdio alemão, somos apenas nós e nossa “simples” bike, com a difícil missão de descer montanhas enormes. Desde o topo até o sopé, mesmo, enfrentando diversos obstáculos pelo caminho, incluindo o risco sempre presente de batidas e quedas, as quais nos levam de volta, então, ao último checkpoint.

Felizmente, os checkpoints em Lonely Mountains: Downhill são bem próximos um do outro, portanto, você não precisa se preparar para passar raiva. O jogo é muito bonito, e a parte sonora também é extremamente agradável, com o som do vento, dos pássaros e da vegetação (dependendo do local) sempre se manifestando de maneira soberba e de acordo.

Descer uma montanha é uma tarefa não lá muito simples, vale ressaltar. A bicicleta pode passar por trechos repletos de pedregulhos (momentos em que temos de utilizar o freio), e também por curvas fechadíssimas. O uso do freio, aliás, é sempre imprescindível, a não ser que você queira cair em abismos sempre prontos a engolir a pequenina bicicleta (bem como seu piloto).

Lonely Mountains: Downhill

Os cenários pelos quais passamos são lindíssimos. Árvores e vegetação rasteira, além de rochas, riachos e cachoeiras ajudam a compor um conjunto audiovisual estonteante, sem falar que existem momentos em que temos de pedalar a altíssimas velocidades a fim de atravessar vãos assustadores.

Podemos definir Lonely Mountains: Downhill como um jogo eletrônico de mountain bike, basicamente. Além disso, ele conta com leaderboards e também com vários trechos em uma mesma montanha, os quais são desbloqueados conforme vamos atingindo diversos objetivos expostos antes de cada “corrida”.

Lonely Mountains: Downhill

Novas montanhas também podem ser desbloqueadas aos poucos pelo jogador, sendo que a própria bicicleta pode ser personalizada, tanto com itens que alteram sua manobrabilidade tanto com itens cosméticos.

Enquanto jogamos, é possível abordar cada trecho de diferentes maneiras. Existem trechos inclinados, descidas suaves e descidas mais íngremes, e também existem trechos em que temos de literalmente executar saltos.

O manuseio correto dos controles é imprescindível para o sucesso, com as frenagens nos momentos adequados e as “aceleradas” quando preciso. Mas nada impede o jogador, dependendo da área em questão, de descer  “com tudo, acelerando bastante: tudo vai depender de sua perícia no controle da bicicleta e no momento das curvas e/ou saltos.

Nem parece que Lonely Mountains: Downhill está ainda em fase beta, pois o título se encontra bastante polido. Não fui capaz de perceber nenhum bug. Nada de quedas de frames por segundo. Nada de crashes. Zero problemas.

Lonely Mountains: Downhill

O jogo rodou “liso” e me proporcionou bastante diversão, mas não pense que se trata de um título fácil: não, muito pelo contrário. Trata-se de um game bastante desafiador, onde o menor deslize faz com que você retorne para o último (amigável) checkpoint.

A sensação de velocidade proporcionada pelo game, além disso, torna tudo bastante entusiasmante, principalmente se você utilizar fones de ouvido (o som do vento nas alturas é sensacional).

Momentos mais complicados, por sua vez, exigem um controle mais “fino” da bike, com frenagens constantes, sendo que também é possível deixar de “acelerar”/pedalar e aproveitar apenas o impulso proporcionado pelas (muitas vezes íngremes) descidas constantes.

Curvas fechadas também são uma constante, portanto, todo cuidado é pouco. A câmera, aliás, muda de ângulo em diversos momentos, dependendo da área e da situação, e ela também se aproxima ou se afasta nos momentos mais importantes. É muito bacana.

Lonely Mountains: Downhill

Algo também digno de nota no game, é que em diversos momentos podemos optar por caminhos alternativos, por atalhos, os quais podem ser mais ou menos difíceis (é difícil prever; aliás, impossível, uma vez que não existe nenhum tipo de mini mapa). Tais atalhos, entretanto, podem sempre revelar mais belezas da montanha na qual nos encontramos. É muito bacana. O jogo é verdadeiramente muito divertido e bonito.

Você também pode ter uma ideia do jogo, através de uma pequena demo liberada pela Megagon Industries: basta acessar este link e assinar a newsletter da desenvolvedora. Dentro de alguns instantes você receberá um link para o download da versão demonstrativa do título.

Eis aqui um título bastante promissor, em minha opinião. O jogo será lançado, segundo a desenvolvedora, ainda em 2019, inicialmente para PC. Ports para consoles, através da parceria com a Thunderful Publishing, também estão programados, porém também sem datas pré-definidas. Vamos aguardar.

Enquanto isso, fique com um trailer do jogo:

Pin It on Pinterest