Pathologic 2 foi lançado no último dia 23 de Maio, para PC. Estranho, bizarro, escatológico, curioso e muitas vezes pavoroso, como muitos jogos russos (35MM entra neste âmbito, por exemplo), o jogo da desenvolvedora Ice-Pick Lodge (publicado pela tinyBuild) é capaz de deixar muitos jogadores no mínimo extremamente perturbados.

Trata-se, na verdade, de um título que já passou pelo Kickstarter, através de uma campanha bem sucedida, em 2014. Quase 5 anos se passaram, e algumas coisas mudaram. O que era para ser um remake do jogo original lançado em 2005, com gráficos aprimorados, melhorias na IA e outros aprimoramentos como parte do “pacote”, se transformou na verdade em uma reimaginação do mesmo.

Pathologic 2

Apesar de se chamar Pathologic 2, o que temos em mãos, agora, não é uma sequência: não se engane. O jogo, na verdade, deveria ter chegado às mãos dos jogadores (inclusive dos backers, obviamente), em 2016, mas uma série de mudanças relacionados aos interesses dos desenvolvedores, ao longo do percurso, fez com que apenas uma demo fosse lançada para os os financiadores, chamada “Pathologic: The Marble Nest” (a qual foi disponibilizada para qualquer interessado em 2017).

Pathologic 2

Finalmente, no último dia 23 de Maio, fomos “brindados” com o jogo completo. Um jogo complexo, difícil, estranho ao extremo, que mistura horror, suspense e sobrevivência. Um jogo para poucos, e confesso de antemão que não é um jogo para mim.

Em Pathologic 2, temos como protagonista um médico chamado Artemy Burakh, o qual retorna à sua cidade natal à pedido de seu pai. Ao chegar ao local, à bordo de um trem e tendo como companheiro de viagem um estranho personagem (além de estranhos e viajantes sonhos, também), Burakh finalmente se depara com a estranha e horrenda realidade do local.

Pathologic 2

Uma cidade que sofre com uma misteriosa praga, e onde ele não é bem vindo aparentemente devido a ter sido confundido com alguém que cometeu um assassinato no local. Nada é muito bem explicado no jogo, e você joga, grande parte do tempo, se perguntando o que realmente está fazendo, quais são os objetivos principais e secundários.

Você simplesmente perambula, à esmo, perguntando, conversando, roubando, matando, se preciso (e até mesmo se não for preciso), lutando, saqueando, observando cenas bizarras, etc.

Você perambula por uma estranha cidade, muitas vezes morrendo e recebendo a visita de um estranho personagem que parece te levar a crer que você está representando em um filme. Creia-me: nada é muito bem explicado no jogo, e Pathologic 2 (não joguei o primeiro, e isto não é um pré-requisito para jogar esta “sequência) acaba se tornando mais estranho ainda devido a isto.

Pathologic 2

Você tem 12 dias, apenas, para salvar a cidade, para fugir dali, para finalizar o game, ou o que quer que seja que a Ice-Pick Lodge tenha em mente. Fome, sede, ferimentos e a própria praga (você pode ser infectado) podem te colocar em maus lençóis. Isto sem falar no fato de que tudo, em Pathologic 2, é escasso.

Não se trata de reclamar da dificuldade extrema de um game. Muitos outros títulos fazem isso, e são muito bem sucedidos: mas Pathologic 2 penaliza demais o jogador. Demais. É quase como se ele fosse o Dark Souls dos jogos de horror. E todas as suas peculiaridades estranhas acabaram por dele me afastar. Por um bom tempo, ou para sempre.

Pathologic 2

Não estou aqui dizendo que você não deve jogá-lo (aliás, creio que este é o tipo de jogo que deveria contar com uma versão demonstrativa). Mas em todo o caso, tente baixar a demo de “Pathologic: The Marble Nest” disponibilizada gratuitamente no Google Drive pela própria desenvolvedora.

Tire suas próprias conclusões com base no que vir ali, sinta a atmosfera, o ar estranho, os personagens esquisitos, muitas vezes caricatos, quando não assustadores. Veja por si mesmo.

O fato é que Pathologic 2 peca por tentar ser um jogo de horror inserindo elementos de sobrevivência demais. Confesso que é extremamente cansativo caminhar pela estranha cidade e me deparar, muitas vezes, com grupos ou personagens hostis quando minha estamina está quase que completamente no fim, devido à fome e à sede, por exemplo, e isto ao mesmo tempo em que possuo pouco dinheiro para adquirir comida, a qual também é escassa. Isto também enquanto as poucas fontes de água gratuita disponíveis são difíceis de serem encontradas, devido ao mapa que quase nada revela.

Pathologic 2

Pathologic 2 peca por tentar forçar sobrevivência enquanto tenta se manter firme às suas raízes old-school (até mesmo salvar o jogo é difícil: você tem de descobrir onde estão localizados determinados relógios espalhados pela cidade, para então ser capaz de gravar o seu progresso). Os próprios desenvolvedores mencionam esta coisa do old fashioned way, várias vezes, e eu até entendo tudo isto: em partes.

Mas são mecânicas que não combinam. São elementos conflitantes. O jogador é inserido no meio de uma trama mal explicada, repleta de problemas, e também em um jogo repleto de falhas gritantes, a começar pelo fato de misturar horror com sobrevivência sem no entanto fornecer os requisitos básicos para este último elemento.

Não se engane (e não compre o jogo), se tudo o que eu disse acima faz com que você se sinta mal, e/ou se você não gostar do que leu. Digo tudo isto por experiência própria, e constantemente, durante minhas sessões de gameplay, me vi perdido, sem saber o que fazer, sem saber com quem conversar (há uma infinidade de personagens com os quais podemos interagir), sem saber mesmo para onde ir.

Você terá de fazer diversas escolhas ao longo do jogo, algumas delas bastante, digamos, bizarras. A narrativa também pode tomar rumos diferentes dependendo do que você diz, e estamos aqui falando de um jogo sem final feliz. De um jogo sem risadas (a não ser risadas quase que demoníacas em alguns locais que mais se parecem com velhos mausoléus mal-assombrados).

Pathologic 2

Estamos aqui falando a respeito de um jogo verdadeiramente dark, porém este não é seu pecado. Ressalto mais uma vez que o grande erro de Pathologic 2 foi ter inserido elementos survival demais naquilo que deveria ter sido um ótimo jogo de horror (a atmosfera é soberba, os personagens são instigantes – muitas vezes assustadores – o clima na cidade é perturbador ao extremo, e por aí vai).

Pathologic 2

Isto sem falar no fato de que o jogo mais se parece como algo que esteve em algum “forno”, esquecido por anos, e que finalmente ressurgiu em 2019. Não no quesito “gráficos”, não estou nem me referindo a isto (eles são até bonitos).

Mas sim no quesito “dificuldade extrema”, em um jogo que deveria manter o jogador imerso no que realmente interessa: na praga horrível que mata. Nos horrores que circundam a cidade. Nos personagens muito mais do que estranhos. Na atmosfera obscura e perturbadora. No clima nefasto do local.

Ter de se preocupar com sede, fome, fadiga, cura, ferimentos e outros elementos semelhantes em um jogo de horror é algo que quebra totalmente a imersão, e isto, em minha opinião, é imperdoável. Principalmente levando-se em consideração a extrema dificuldade a nós imposta. Se os desenvolvedores enquadram Pathologic 2 em algum outro gênero (ou em vários), então aí a discussão termina aqui. Mas mesmo assim ressalto: não é um jogo para mim.

Pathologic 2

Atualização – Dificuldade menor

Os desenvolvedores da Ice-Pick Lodge lançaram hoje, aliás, uma atualização que permite aos jogadores ajustarem o nível de dificuldade em diversos aspectos. Eles recomendam que o jogador, entretanto, não mexa em nada, aqui, e experimente a experiência como ela foi desenhada.

Mas para mim soa mais como uma resposta às reclamações à respeito da dificuldade, e aí, com medo de perder vendas, bem, já sabemos o que acontece, não é?

Veja o vídeo no qual eles falam a respeito:

Mas não, Pathologic 2 não é para mim. Não fossem estes problemas que citei acima, tenho certeza de que eu iria adorar a experiência (ou será que estou ficando velho e rabugento?) E você, o que acha?

Enquanto isso, fique com o estranho trailer de lançamento do game:

Pin It on Pinterest