Dyson Sphere Program “pega carona” no conceito teorizado por Freeman Dyson nos anos 50, segundo o qual teríamos supostamente uma estrutura descomunal que envolveria uma estrela e, assim, seria capaz de capturar sua energia.

Desenvolvido pela equipe (composta por mentes muito talentosas, pelo que podemos depreender à partir daquilo que observamos no jogo como um todo) da chinesa Youthcat Studio, o simulador espacial é uma encantadora mistura de gêneros.

Dyson Sphere Program

Aliás, é possível encontrar similaridades entre Dyson Sphere Program e outros jogos de automação, gestão, construção e simulação, tais como, por exemplo, Satisfactory e Factorio.

Dyson Sphere Program

Este simulador espacial, porém, foi lançado para PC em Early Access (Acesso Antecipado), através do Steam, e tem como publisher a também chinesa Gamera Game.

Mas vamos por partes. Este é o primeiro artigo de uma série, e ele contem, portanto, minhas primeiras impressões a respeito do excelente simulador.

Iniciando a aventura em Dyson Sphere Program

E importante frisar que, a princípio, o jogo conta com interface e legendas (além de áudio – sim!) apenas em inglês e chinês, obviamente.

Isto não deve ser um empecilho para os apreciadores do gênero, entretanto, uma vez que tudo é extremamente intuitivo e as principais ferramentas podem ser acessadas rapidamente, mediante cliques do mouse ou através de teclas de atalho.

Dyson Sphere Program

Dyson Sphere Program conta inclusive com um enredo. Há um porquê, ali. Existem, aliás, diversos porquês dentro do título, e durante o gameplay, o jogador vai sendo a eles introduzido, pouco a pouco.

Obs: há também um ótimo tutorial com áudio e texto (em inglês), vale lembrar.

Dyson Sphere Program

Acontece que à partir da introdução, através da qual escolhemos nosso destino espacial, nossa nave é então até ali direcionada.

Dyson Sphere Program

Nosso Mech no jogo…

Somos, em DSP, membros de uma iniciativa humana intitulada COSMO, e assim sendo, temos de buscar novas fontes para o fornecimento de energia a um novo tipo de supercomputador desenvolvido na Terra.

A iniciativa COSMO pretende, como o próprio nome do jogo deixa bem claro, construir Esferas de Dyson – este é o objetivo do jogo, mas começamos “bem por baixo”.

Na superfície de planetas os mais diversos, os quais são, certamente, capazes de fornecer também recursos os mais diversos, temos que extrai-los e manipulá-los, através de verdadeiras e gigantescas (assim espera-se) fábricas/linhas de produção automatizadas.

Dyson Sphere Program

“Caímos” em um cluster, no espaço distante, e o próprio tutorial nos diz que tudo ali é nosso. Tudo dentro do sistema pode ser explorado, de planetas a estrelas de vários tipos.

Dyson Sphere Program

Claro, o caminho até a construção da Esfera de Dyson é longo e intrincado, e eu mesmo permaneço, por enquanto, na superfície de meu “pequeno” planeta inicial, o “54 Pictoris III”.

Logo na chegada, aliás, e de forma bastante apropriada, temos que “colocar a mão na massa” e reciclar nossa própria nave, para obtermos a matéria-prima necessária para o início dos trabalhos.

Dyson Sphere Program

De dentro da nave surge, então, um mech (ou mecha) gigante, o qual será nosso “funcionário” ao longo do jogo, lidando com construções, minerando, coletando recursos os mais diversos, etc. Tal robô tem inclusive um nome (Icarus), vale lembrar.

Iniciando a automação

À primeira vista, Dyson Sphere Program pode parecer um jogo extremamente complexo. Ele, entretanto, não o é, e o jogador muito rapidamente se verá imerso em seus meandros.

Graças ao interessante e valiosíssimo tutorial, com narrações e texto no idioma escolhido pelo jogador (lembre-se: por enquanto, estão disponíveis apenas o inglês e o chinês), as coisas vão aos poucos se encaixando.

Icarus, o nosso mech, à princípio deve trabalhar sozinho, obtendo recursos à partir de árvores, plantas, rochas e elementos os mais diversos, como por exemplo ferro, cobre, carvão, etc.

Dyson Sphere Program

Isto até que tenhamos os recursos necessários para a construção de nossa primeira mining machine, máquina que extrairá recursos de forma automatizada.

Tal equipamento pode ser construído diante de veios de diversos minérios. Entretanto, trata-se de um equipamento que é movido à energia elétrica, e aí entram em cena torres de energia eólica e Torres Tesla, para a devida ampliação dos campos energéticos.

Dyson Sphere Program

Com tudo isto em mente, estamos iniciando nossa produção, e muito rapidamente teremos que construir armazenadores e esteiras rolantes, bem como equipamentos necessários para a devida alimentação de tais “armazéns”.

É muito importante tomar os devidos cuidados para que esteiras não se sobreponham umas às outras, e também temos de ter muito cuidado com os sentidos de movimentação das esteiras e também dos sorters.

Com a construção de uma linha de produção/fábrica totalmente automatizada em mente, é essencial que tudo funcione de forma “redonda” (e automática), sem que tenhamos de colocar a mão na massa. Sem que Icarus tenha de manipular coisa alguma.

Construindo e lidando com problemas

É preciso bastante planejamento, bem como atenção a detalhes. Várias “linhas”, por exemplo, podem simplesmente travar caso você não tome os devidos cuidados.

Dyson Sphere Program

Por exemplo: uma “caixa armazenadora” (storage) pode simplesmente ficar lotada, o que poderá até mesmo resultar na parada total da linha à ela está ligada.

Cabe ao jogador, em tais momentos, então, construir mais “caixas armazenadoras”, bem como planejar melhor suas linhas e até mesmo inserir “desvios” para outras linhas, se for o caso.

É possível também construir splitters, para distribuição e balanceamento de cargas em/para vários conveyor belts. Há inclusive uma enorme árvore tecnológica em Dyson Sphere Program, além de diversos upgrades possíveis. Tudo isto vai liberando, pouco a pouco, mais tecnologias, mais equipamentos, mais amplitude.

Dyson Sphere Program

Prestes a chegar no novo lar…

E para construir todos os equipamentos necessários, é preciso lidar com um interessante e complexo (a princípio) sistema de crafting.

Cada máquina, cada elemento da mesma, cada building: tudo isto exige que o jogador utilize o sistema de crafting do jogo, seja através do replicator, seja através de Assembling Machines.

Belezas a perder de vista

Ainda sou um pequeno engenheiro em Dyson Sphere Program. Entretanto, já fui capaz de perceber que este jogo irá me entreter por horas e horas a fio.

Assim sendo, aguarde por mais “Diários de um Engenheiro”, conforme progrido no jogo e aumento minha linha de produção automatizada.

O título da Youthcat Studio contou com uma muito bem sucedida campanha no Kickstarter, em 2020, e mesmo agora, ainda em Early Access, passa muito bem a impressão de algo já pronto, finalizado.

Aliás, ele é belíssimo. Podemos, durante o jogo, optar por diferentes níveis de zoom – bem próximo ao chão e às nossas máquinas/linhas, por exemplo, ou então algo mais elevado.

Dyson Sphere Program

De qualquer maneira, porém, também podemos optar por observar o nosso planeta à partir de sua órbita, bem como escolher a visão em modo starmap, através da qual podemos realizar um “tour” pelo nosso sistema, visualizando inclusive a estrela do mesmo.

É muito bacana também ouvir e assistir às nossas linhas de produção em funcionamento. O som das máquinas, das correias de transporte, etc: tudo é simplesmente fantástico. Foi feito certamente um ótimo trabalho no que diz respeito à sonorização (e também em relação à bela trilha sonora).

Isto sem falar que os planetas, dependendo do caso, contam com lindos ciclos dia/noite, permitindo que o jogador observe belíssimos alvoreceres, também. Trata-se de algo verdadeiramente de cair o queixo.

Finalizando

Como eu disse, aguarde por mais Diários de um Engenheiro aqui no XboxPlus. Minha jornada em Dyson Sphere Program apenas começou. O jogo é simplesmente fenomenal.

Intrincado, sim, porém justo com o jogador. Complexo na medica certa, e capaz de levar o jogador à construção de coisas verdadeiramente sensacionais.

Pin It on Pinterest