Confesso que sempre fui bastante interessado no desenvolvimento de jogos eletrônicos. Até cheguei a brincar com algumas ferramentas e engines, chegando inclusive a publicar a respeito.

Entretanto, e infelizmente, minhas “investidas” na área, digamos, se resumiram a projetos bem aquém das minhas expectativas, além de impossíveis de serem divulgados de qualquer maneira.

Pois bem, é sempre com muita felicidade que observo novos lançamentos relacionados a isto tudo no mercado. Este é o caso, por exemplo, do Core, da californiana Manticore Games.

Sobre o Core

Trata-se de uma espécie de ambiente virtual (atualmente em estado alfa aberto – você pode se registrar, baixar o cliente e começar a “brincar”) voltado à criação, compartilhamento e apreciação de games.

O Core faz uso da Unreal Engine, e também permite que usuários mais avançados utilizem Lua para criar seus próprios scripts.

Possuir conhecimentos em programação, entretanto, não é um pré-requisito para utilizar o Core: segundo a Manticore Games, a ferramenta é, além de poderosa, extremamente amigável.

O objetivo da desenvolvedora, no futuro, é construir também uma comunidade engajada na criação, e já existem inclusive diversos games desenvolvidos, os quais podem ser visualizados através deste link.

Core Games - Manticore Games

Pelo menos por enquanto, tudo na plataforma/comunidade é gratuito, e você pode criar sua conta, ler a documentação e já colocar a mão na massa, criando (ou tentando criar) seu próprio jogo eletrônico.

A Manticore Games pretende, no futuro, que a direção da plataforma seja o universo multiplayer, mas nada impede qualquer jogador/criador de criar sua própria experiência solo.

Aprender a programar pode ser uma tarefa hercúlea para muitas pessoas, e o Core pode muito bem ser uma das soluções apropriadas para estes casos, já fazendo uso, inclusive, da poderosa engine da Epic Games.

O Core também poderá ajudar cada criador a encontrar sua própria audiência, desde que, é claro, o jogo criado possua um mínimo de qualidade e apelo.

A criação no sistema (desde que você não deseje programar), se baseia em “clicar, arrastar e soltar”, basicamente. Seguindo toda uma lógica, obviamente.

Obviamente, é importante destacar, criar um jogo eletrônico não é uma tarefa das mais simples. E por mais que determinada ferramenta facilite o processo, o candidato a desenvolvedor deve esperar por muito trabalho, além de ter em mente que deverá se empenhar bastante.

Bem, o Core também conta com uma generosa biblioteca de assets, os quais podem ser utilizados pelos “candidatos a desenvolvedor”, sem qualquer limitação. Não encontrei, entretanto, nenhuma informação a respeito da possibilidade ou não de venda dos jogos criados, e/ou do pagamento ou não de royalties sobre cada um dos assets utilizados.

Me parece que o Core pode muito bem vir a servir a uma ampla gama de pessoas, que desejam criar seus próprios games sem a necessidade de entrar em questões que envolvam programação e/ou arte.

Vamos acompanhar o produto!

Pin It on Pinterest