A Epic Games e a Deep Silver anunciaram que o aguardadíssimo Metro Exodus em sua versão para PC não mais será vendido através do Steam e de outras lojas digitais: ele será vendido apenas através  da Epic Games Store (pelo período de um ano: depois ele retornará ao Steam e a outras lojas). Ambas as empresas anunciaram uma parceria, sendo que a Epic Games ficará com apenas 12% das vendas do título desenvolvido pela 4A Games.

Não estamos falando aqui do primeiro título exclusivo da Epic Games Store, nem tampouco do primeiro AAA que será exclusivo da nova loja (basta nos lembrarmos, por exemplo, de The Division 2). Mas estamos falando de um verdadeiro “baque”, quem sabe, para a loja da Valve e Gabe Newell. Talvez o primeiro de uma série que ainda está por vir.

Obs: todas as pré-vendas através do Steam serão honradas, mas Metro Exodus não mais pode ser adquirido na loja.

Temos de nos lembrar também de que diversas publishers já optaram por suas próprias lojas, clientes e launchers, como por exemplo a Bethesda com Fallout 76, a Activision com Call of Duty Black Ops 4 sendo um exclusivo da Battle.net, e a Ubisoft com o já acima mencionado The Division 2.

Uma das coisas que chamam a atenção é uma pequena nota exibida na página de Metro Exodus no Steam, a qual foi inserida pela própria Valve. Tal nota cita a descontinuação das vendas e também o fato de que as pré-vendas serão honradas. Tal nota também menciona uma tal “outra loja” (a qual todos já sabemos qual é), e ainda diz que a decisão da publisher é “injusta com os clientes do Steam”.

Metro Exodus

Não sei quanto a vocês, mas pela primeira vez vi a Valve na defensiva, meio que assustada, e penso desta forma só com tal nota em mente (nunca vi o Steam fazer algo assim). Obviamente, trata-se de um caso diferente de outros títulos já anunciados como exclusivos da Epic Games Store, uma vez que o novo game da 4A Games encontrava-se em pré-venda no Steam. A loja foi utilizada como um meio de propaganda, também, de certa forma, o que pode ter sido visto pela Valve como uma afronta.

Estaria a Valve começando a ficar com medo, devido ao surgimento de outras lojas de grande relevância e também devido à decisão de grandes publishers de para elas migrarem? Vale também a pena nos lembrarmos de que o Discord agora possui sua própria loja de jogos digitais para PC, e que a Electronic Arts “fugiu” da loja da Valve há muitos anos. A Ubisoft, além disso, por exemplo, possui seu próprio cliente e sua própria loja, sendo que tal cliente (uPlay) conta inclusive com alguns recursos não vistos no cliente Steam.

Acima de tudo isto, porém, está o fato de que todas estas novas lojas oferecem percentuais maiores aos desenvolvedores e publishers (a Epic Games Store, por exemplo, fica com apenas 12%), o que permite que as empresas responsáveis pelos títulos trabalhem, quem sabe, com um maior fôlego (o Steam, por exemplo, “come” 30% de cada venda) e invistam mais em marketing, em desenvolvimento, em aprimoramentos e outros detalhes relacionados.

O Metro Exodus é incrível e é merecidamente um dos títulos de PC mais esperados de 2019. Estamos fazendo uma parceria com a Deep Silver para lançar o Metro Exodus, sustentado pelo suporte de marketing da Epic e pelo compromisso de oferecer uma divisão de receita de 88%, permitindo que os criadores de jogos reinvestissem na criação de grandes jogos e melhorando a economia das lojas de jogos para todos“, disse Tim Sweeney, fundador e CEO da Epic.

Confesso que é um tanto quanto chato, realmente, ter de lidar com vários launchers ao mesmo tempo, mas por outro lado, se isto resultar, ao longo do tempo, em melhores preços e recursos, não vejo porque não ficar empolgado ou pelo menos acostumado. Além disso, o Steam parece ter meio que estagnado, com o tempo, se sentindo senhor absoluto de um mercado gigantesco que ele praticamente sozinho construiu. E como sabemos, concorrência é algo extremamente saudável para todos.

A Epic Games ainda tem um longo caminho pela frente, é verdade. Seu launcher, por exemplo, ainda carece de recursos que abundam no Steam, mas nada impede a empresa por ele responsável de, com o tempo, ir implementando mais e mais recursos no mesmo, à medida que pequenos e grandes títulos começarem a pipocar na nova loja.

De qualquer maneira, estaríamos vendo o início de uma guerra entre a Epic Games Store e o Steam? Não sabemos ainda, mas uma certeza podemos ter: muito em breve teremos inúmeros exclusivos na loja de Tim Sweeney, pequenos e grandes, e com a política de garantir que 88% das vendas chegue aos responsáveis pelos títulos, é natural que o interesse pela loja cresça cada vez mais por parte de desenvolvedores e publishers. E não podemos nos esquecer também dos bons jogos gratuitos que estão sendo oferecidos pela nova loja: uma maneira sensacional de angariar a simpatia dos jogadores.

Pin It on Pinterest